Presos do RN custam R$ 3 mil ao Estado, diz Pedro Florêncio

Secretário de Administração Penitenciária defende tornozeleiras eletrônicas como economia de recursos.

Rafael Araújo,
Reprodução/Jornal 96
Secretário de Administração Penitenciária, Pedro Florêncio, falou sobre as tornozeleiras eletrônicas e o custo de cada preso para o Estado.

O secretário de Administração Penitenciária do Estado (Seap), Pedro Florêncio disse em entrevista ao Jornal 96, da 96FM na manhã desta terça-feira (4), que cada preso custa aproximadamente R$ 3 mil aos cofres do executivo estadual. Ele explica ainda que, além da economia, o regime semiaberto dá uma maior oportunidade de ressocialização ao apenado, assim como também contribui para o desencarceramento.

“A tornozeleira eletrônica é um instrumento que veio para trazer políticas de ressocialização, mas atinge também o princípio de desencarceramento e gera economia. Um preso custa hoje cerca de R$ 3 mil ao Estado por mês, enquanto o gasto com a tornozeleira é de aproximadamente R$ 250 mensais”, explica o secretário.

Ainda de acordo com Pedro Florêncio, hoje o estado tem cerca de 1,5 mil apenados do regime semiaberto, que são monitorados pelas autoridades através do uso da tornozeleira eletrônica.


Confira a entrevista na íntegra:


Tags: Jornal 96
A+ A-