Amaro Sales diz que briga política sobre Proedi prejudica economia

‘Empresas não são boneco de brincadeira. Elas têm responsabilidade’, disse o presidente da Fiern.

Flávio Oliveira,
Gerlane Lima
Presidente da Fiern, Amaro Sales, durante entrevista para o jornalista Diógenes Dantas, no Jornal 96 desta quarta-feira.

O presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (Fiern), Amaro Sales, disse em entrevista para o Jornal 96, na manhã desta quarta-feira (4), que a indefinição sobre o Programa de Estímulo e Desenvolvimento Industrial (Proedi) é decorrente de disputa política.

“A gente fica assustado porque cada dia que passa a gente vê essas decisões, a gente vê a tomada de posição dos municípios e as empresas não são boneco de brincadeira. Elas têm responsabilidade”, reclamou o empresário.

Amaro Sales defendeu a implantação do Proedi e afirmou que os municípios não têm analisado a questão do ponto de vista financeiro. “Essa discussão que hoje está gerando eu digo que é mais de cunho político do que financeiro. Ontem eu disse a um empresário: se a sua empresa faturava R$ 50 milhões e amanhã só vai faturar R$ 40 milhões, você vai deixar de contribuir para o Estado esse recurso do ICMS. Se há uma redução do ICMS, a repartição vai ser menor também. Então o que os prefeitos estão alegando que vai diminuir esses recursos, se essas empresas que dão emprego hoje forem embora, elas vão deixar de contribuir para o Estado e não vai ter o dinheiro. Você vai reclamar de uma coisa que não existe”, argumentou.

AmaroSaleseDiogenesDantasJornal96

O empresário reforçou as críticas aos gestores municipais e alertou para a perda de empregos que pode ocorrer com a retirada de investimentos das indústrias no Estado. “Eu acho que eles [prefeitos] estão entendendo, sabem que isso existe, uma possibilidade real, agora tem um cunho político que não quer ser entendido. [...] Isso é uma briga política. Você imaginar um acirramento onde eu posso deixar que essas empresas vão embora do Rio Grande do Norte”, disse Sales.

Apesar das reclamações, o presidente da Fiern acredita que faltou diálogo para a implantação do Proedi. “Acho que num momento como esse deveria esse diálogo que está sendo feito Na Justiça, a contestação na Justiça, deveria sentar Governo do Estado, prefeituras, inclusive o que estranha porque já foi feito dois acordos entre governo e prefeitura e depois não vale nada. Então não é acordo. Eu ainda insisto que entre a briga governo e prefeitura, as indústrias estão sendo prejudicadas”, afirmou.

“Um assunto tão importante acho que faltou Assembleia, os prefeitos e o governo chegarem num denominador comum. Porque o Proadi não poderia mais acontecer. Existe uma lei federal que não permite a questão dos benefícios fiscais da forma como acontecia no Rio Grande do Norte”, declara Sales.


Confira a entrevista:


Tags: Economia Fiern Proedi
A+ A-