Polícia Federal mira líderes de facção por ataques no estado do Ceará

Operação Torre cumpre 15 mandados de prisão preventiva e 14 mandados de busca e apreensão.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Maciel Bezerra / Twitter
Nos últimos cinco dias, foram registrados 38 ataques a ônibus, carros e caminhões nas ruas do Ceará.
A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta (26), a Operação Torre, para desarticular líderes de facção responsáveis por diferentes ataques no Ceará – a torres de transmissão de energia elétrica, em abril desde ano, e a veículos e estabelecimentos comerciais na capital cearense.

Agentes cumpriram 15 mandados de prisão preventiva e 14 mandados de busca e apreensão no Ceará e em Pernambuco. As medidas judiciais foram deferidas pela Vara de Delitos de Organizações Criminosas da Justiça do Estado do Ceará.

A ação é realizada em conjunto com o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas do Estado, o Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN) e a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Estado.

Segundo as investigações, as ações do grupo foram praticadas sob determinações de lideranças que se encontravam em presídios. As ordens eram planejadas por esses líderes e executadas por integrantes da organização criminosa que se estavam em liberdade, indica a PF.

A corporação informou que prendeu, na quarta, 24, em Pernambuco, um homem de 45 anos de Umbuzeiro (PB) que seria integrante e fundador da facção responsável pelos ataques no Ceará.

De acordo com a PF, os investigados podem responder pelos crimes de dano, incêndio e participação em organização criminosa.
Ondas de ataques criminosos

Nos últimos cinco dias, foram registrados 38 ataques a ônibus, carros e caminhões nas ruas do Ceará. Após os ataques, o governo do Estado prendeu 31 suspeitos e transferiu 257 detentos supostamente ligados à facção criminosa que ordenou o vandalismo.

Além das ações criminosas na capital do Estado, Fortaleza, houve registro de crimes em cinco municípios: Canindé, Quixadá, Quixeramobim, Paracuru e Jucás.

Tags: Ataques Brasil Ceará
A+ A-