Documentos indicam repasses de operador para filha de Serra na Suíça

Autoridades europeias enviaram papéis que mostram dois pagamentos .a Verônica Serra.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Arquivo/Agência Brasil
José Serra rejeitou a possibilidade de haver qualquer ilegalidade envolvendo o nome de sua filha, Verônica Serra, que teria recebido cerca de 400 mil euros.

Documentos encaminhados pela Suíça mostram que uma offshore ligada ao operador José Amaro Pinto Ramos realizou ao menos dois pagamentos para uma conta cuja beneficiária é Verônica Serra, filha do senador José Serra (PSDB).

Por meio de sua assessoria, Serra rejeitou "a possibilidade de haver qualquer ilegalidade envolvendo o nome de sua filha". Ele reafirmou que ‘jamais recebeu nenhum tipo de vantagem indevida ao longo de sua extensa carreira política construída sempre em prol do Brasil e dos brasileiros’.

Tanto Serra como Amaro Pinto Ramos são investigados pela Polícia Federal em um inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF). Os investigadores tentam mapear a relação entre os dois relatada pelo ex-presidente da Odebrecht Pedro Novis em seu acordo de colaboração.

O executivo da empreiteira contou ter repassado R$ 4,5 milhões ao senador, entre 2006 e 2007, por meio de ‘uma conta bancária no exterior fornecida por José Amaro Ramos’.”Que pode afirmar que as transferências realizadas para a Circle Technical Company, conforme indicado por José Serra, não possui qualquer relação com serviços prestados por José Amaro Pinto Ramos”, disse Novis à PF. O valores teriam como destino a campanha do tucano ao governo de São Paulo, em 2006.

De acordo com os documentos em poder da Procuradoria-geral da República, na mesma época em que teria recebido valores da Odebrecht, a offshore Circle Technical, de Pinto Ramos, efetuou dois pagamentos para a conta Firenze, no Arner Bank, em nome da offshore Dortmund, sediada no Panamá, e que teria como beneficiária Verônica Serra.

O primeiro repasse de 250 mil euros foi em dezembro de 2006, meses depois de Serra ser eleito governador de São Paulo. Dois meses depois, em fevereiro de 2007, quando o tucano já era governador, foi realizada outra transação no valor de 150 mil euros.

Para provar a relação da conta offshore Dortmund com Verônica Serra, as autoridades suíças encaminharam cópias da documentação utilizada para abri a empresa em que aparece o nome e endereço da filha do senador.

Além disso, foram encaminhados e-mails em que a própria Verônica Serra autoriza transações realizadas por meio da offshore e da conta administrada por ela no Arner Bank.

O criminalista Antonio Sérgio de Moraes Pitombo, que representa Verônica Serra, disse que ainda não teve acesso aos documentos da Suíça, por isso não está em condições de emitir nenhuma opinião. “Não vou comentar, vou estudar o caso, ainda. Agora nenhuma palavra posso dar porque nem sequer examinei o material.”

Tags: Circle Technical José Serra offshore PSDB
A+ A-