Advogado alvo da Operação Carbonara Chimica se entrega à PF

Nilton Serson é apontado como "laranja" de ex-vice-presidente Jurídico da Odebrecht.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Reprodução/TV

O advogado Nilton Serson, apontado como "laranja" do ex-vice-presidente Jurídico da Odebrecht Maurício Ferro - cunhado do ex-presidente da empreiteira Marcelo Odebrecht - se entregou à Polícia Federal nesta segunda-feira, 26. Com prisão temporária decretada no âmbito da Operação Carbonara Chimica, fase 63 da Lava Jato, Serson retornou dos Estados Unidos, onde reside. 

Ele é suspeito de ter forjado 18 contratos de prestação de serviços para a Braskem, braço petroquímico da Odebrecht, para lavar R$ 78 milhões em propinas que a empreiteira teria repassado a políticos e a agentes públicos.

A fase 63 da Lava Jato, deflagrada por ordem do juiz Luiz Antonio Bonat, da 13.ª Vara Criminal Federal de Curitiba, decorre da acusação do processo contra Guido Mantega, ex-ministro dos governos Lula e Dilma Rousseff, por acerto de R$ 50 milhões em propinas ao PT por favorecimento à Odebrecht na edição da Medida Provisória 470.

A Lava Jato descobriu que Serson recebeu R$ 78 milhões da Braskem, por intermédio de Ferro, de forma suspeita. Apuração interna da própria Braskem apontou falta de documentos que comprovassem a efetivação dos serviços pagos. 

Documentos enviados pela Suíça também mostraram que Serson recebeu valores em uma conta secreta do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, a máquina de fazer propinas do grupo.

Defesa

O criminalista Celso Vilardi, que defende o advogado Nilton Serson, declarou: "Nilton Serson já está à disposição das autoridades e vai esclarecer que não praticou qualquer ilícito. Ele vai esclarecer a verdade."

Tags: Nilton Serson Operação Carbonara Chimica Operação Lava Jato PF
A+ A-