Bons ventos nos negócios e sabores da Pipa abrem mercado gastronômico para jovens

Festival Cultural e Gastronômico teve sua 14ª edição neste final de semana.

Da redação, Governo do RN,
Roberta Dijon
Durante o festival aconteceu o Concurso Novos Talentos, que contou com a participação de estudantes de gastronomia do RN, da PB e de PE.

Quem vê o rosto de menina, nem imagina sua responsabilidade, mas essa potiguar de 28 anos, chef de cozinha respeitada, Larissa Nunes, comanda mais de 20 profissionais como ela, em toda a preparação e durante a realização do Festival Cultural e Gastronômico de Pipa, que em sua 14ª edição, focando no desenvolvimento regional sustentável , no fortalecimento do turismo e da inclusão produtiva, por meio de um investimento de R$ 52 mil, via acordo de empréstimo com o Banco Mundial, movimentou esta praia, de 19 a 22 de setembro, trazendo o tema “Os bons ventos nos negócios e sabores da Pipa”.

“É incrível o que este evento proporciona. Participo dele desde 2014, quando me foi dada a oportunidade de ser estagiária. Hoje, quatro anos depois estou na coordenação e feliz por ver que outros colegas que também começaram como estagiários, estão empregados, inseridos de maneira segura no mercado, comandando grandes cozinhas aqui na Pipa e em Tibau do Sul, mudando de vida através da gastronomia. E isso é lindo”, comemorou Larissa, dando o exemplo da chef, também potiguar, Kaline Araújo, que foi sua assistente na última edição, e hoje está à frente de um restaurante da região, participando do festival – agora –como profissional.

“Foi através do Festival que conheci o chef Edu Rejala que me deu essa grande chance. E hoje, aos 20 anos, de estagiária passei a chef de um grande restaurante, e uma chef muito feliz”, contou a jovem Kaline Araújo.

Com a arena principal localizada à Avenida Baía dos Golfinhos e dividida em vilas: Vila dos chefs - onde os chefs convidados comercializaram pratos assinados -, Vila da Pipa – com estabelecimentos participantes – e Vila de Negócios – com estandes de patrocinadores e fornecedores do mercado local, foram oferecidas oficinas gastronômicas, palestras sobre empreendedorismo, shows e atrações culturais, através de ações integradas com a rede de restaurantes locais, além dos festins, onde grandes chefes preparam menus de degustação nos hotéis.

Festival-da-Pipa-H

“A busca por essa combinação de lazer e uma gastronomia diferenciada, aliados à beleza desse que é um de nossos principais cartões postais, aquece a economia de todo o município de Tibau do Sul, haja vista que lotamos os leitos em quase 100% e geramos nesses dias, e durante a preparação, cerca de 300 empregos diretos e indiretos, e o mais bacana que aproximadamente 70% deles são da região”, comemorou o secretário da Sethas e coordenador do Governo Cidadão, Vagner Araújo, emendando que além de incentivar o turismo, o Festival proporciona o reconhecimento dos chefs locais, da culinária e do produtos da agricultura familiar do Estado.

O prefeito de Tibau do Sul, Antônio Modesto corroborou: “todas essas ações tem por compromisso, levar o progresso à região, integrando manifestações culturais nativas e regionais, para movimentar cada vez mais a economia local, e poder ver nossos jovens galgando colocações no mercado”.

Ainda dentro da programação cultural, aconteceu o Concurso Novos Talentos, que contou com a participação de estudantes de gastronomia do Rio Grande do Norte e de estados vizinhos como Paraíba e Pernambuco.

De maneira que a comunidade estivesse presente, o Festival ainda promoveu o concurso “Melhor Feijão da Pipa”, onde membros dela apresentassem o feijão para uma banca de jurados que fez a degustação às cegas. Além do “Concurso da Melhor Receita com Ostra”, motivando os chefs locais a criarem receitas usando a ostra, produto cultivado localmente. Outro ponto que mereceu destaque foi o “Tacho Beneficente”, que nesta edição foi comandado pelo Chef Betão e o Chef Cumpade João, com toda a renda revertida para o Projeto Afeto.

Tags: Festival Cultural e Gastronômico da Pipa
A+ A-