Jogadores rejeitam proposta de redução do salário por conta do Covid-19

Atletas também cobram férias coletivas de 30 dias durante o período de quarentena.

Da redação ,
Lucas Uebel/Getty Images
Grêmio é um dos clubes que já admitiu que terá dificuldade para honrar compromissos com atletas.
SELO-CORONA-100A Federação Nacional dos Atletas Profissionais do Futebol (FNAPF) rejeitou a proposta da Comissão Nacional de Clubes (CNC), que propõem redução de 25% do salário dos jogadores durante o período da paralisação do futebol por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Em documento encaminhado nesta quarta-feira (26), ao presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, representante da CNC, os atletas rejeitaram formalmente. A proposta de férias coletivas foi ajustada na resposta dos atletas. A entidade que representa os jogadores aceita 30 dias de férias – entre 1 e 30 de abril, mas com pagamento integral das férias e o terço constitucional até o dia 4 de maio.

A proposta anterior dos clubes previa férias de 20 dias, com pagamento mais espaçado. A entidade também pede que fique garantido que os atletas tenham direito a licença remunerada de, no mínimo, 10 dias, entre o Natal e Ano Novo.

Outra condição para a formalização do acordo coletivo diz respeito ao pagamento de salário e de parcela de imagem referente ao mês de março até o dia 7 de abril.

Os atletas também pedem garantias caso os clubes não acertem o pagamento e cobram que a CBF seja avalista deste acordo, caso os clubes não paguem o salário e a parcela de imagem no mês de março e ainda as férias a serem gozadas em abril.

Tags: Futebol
A+ A-