Após título mundial, Italo Ferreira agora mira o ouro olímpico

'Fico feliz de poder representar o Brasil na Olimpíada, era um dos meus objetivos no ano', comenta o surfista.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Kelly Cestari
Após conquista do mundial, Italo disse que demorou a dormir por causa da adrenalina da disputa.

Além do título mundial de surfe, conquistado com a vitória na etapa de Pipeline do Circuito Mundial, sobre Gabriel Medina, Italo Ferreira festejou a possibilidade de representar o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. Sua meta, agora, é conquistar o lugar mais alto do pódio em Chiba, no litoral do Japão, onde serão realizadas as disputas.

"Fico feliz de poder representar o Brasil na Olimpíada, era um dos meus objetivos no ano. Quero fazer parte disso e estar no Japão para dar o meu melhor e trazer uma medalha de lá, quem sabe uma de ouro", disse o atleta, que estará junto com Gabriel Medina, Silvana Lima e Tatiana Weston-Webb.

A etapa de Pipeline do Circuito Mundial de Surfe definiu os últimos classificados da temporada para os Jogos Olímpicos e o 11 vezes campeão Kelly Slater não conseguiu a vaga pelos Estados Unidos.

Pelo ranking masculino no Circuito Mundial se classificaram ainda Jordy Smith (África do Sul), Kanoa Igarashi (Japão), Jeremy Flores e Michel Bourez (França) e Owen Wright e Julian Wilson (Austrália). A boa fase do Brasil na modalidade empolga o Comitê Olímpico do Brasil, que vê nos representantes nacionais boas chances de medalha em Tóquio. Na competição que serviu de termômetro para os Jogos de Tóquio, Italo ficou com a medalha de ouro e Medina foi bronze no ISA Games. No feminino, Silvana Lima foi prata.

Comemoração

Após sua façanha no Havaí, Italo demorou a dormir por causa da adrenalina da disputa. A emoção era grande até pela forma como se tornou campeão: ganhando a etapa de Pipeline e passando por baterias contra Slater e Medina, dois especialistas naquelas ondas tubulares.

"Antes de começar o evento, fiquei olhando para o troféu, pensando se eu conseguiria ganhar, e ele agora está aqui nas minhas mãos. Foi um ano realmente diferente e só tenho que agradecer a Deus por tudo", comentou o surfista.

Italo lembra que a rivalidade saudável com Medina e Filipe Toledo, outro grande surfista brasileiro, faz com que ele tenha de se esforçar cada vez mais nas competições. "O Gabriel e o Filipe são, de certa maneira, responsáveis pelo o que eu sou hoje. Eu dedico todos os meus dias, os meus treinos, para ganhar desses caras", avisou.

Tags: Esporte Ítalo Ferreira Surfe
A+ A-