Partido de Flávio Rocha defende reformas política e tributária só em 2026

Presidente do PRB, Marcus Pereira, diz que caso a vigência dessas reformas não seja postergada, 'políticos não irão votá-las'.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Carla Eleonora Ribeiro/Divulgação
Empresário Flávio Rocha, pré-candidato à Presidencia da República pelo PRB, participa de culto evangélico.

O presidente do PRB, Marcus Pereira, partido do presidenciável Flávio Rocha, defendeu nesta segunda-feira que as reformas política e tributária entrem em vigor apenas a partir de 2026. Segundo ele, caso a vigência dessas reformas não seja postergada, "os políticos não vão votar".

Segundo o ex-ministro do governo Temer, que tem aproximado seu partido das candidaturas tucanas, as reformas só serão aprovadas se o próximo presidente sentar para negociar com os 27 novos governadores e os prefeitos das 100 maiores cidades do País. "Políticos se preocupam só com a próxima eleição" disse. "É isso que separa o político profissional do político vocacionado", complementou, se referindo a Rocha, que também compõe a mesa.

Pereira e Rocha participam esta manhã de um café oferecido pela Cebrasse (Central Brasileira do Setor de Serviços), na capital paulista. Na semana passada, o PRB oficializou o apoio à pré-candidatura de João Doria para o governo de São Paulo. No fim de semana, Doria, por sua vez, disse que Rocha e Alckmin "estarão juntos"; nessas eleições.

Tags: Eleições 2018 Flávio Rocha
A+ A-