Jair Bolsonaro diz que Fernando Haddad e o PT tentam dividir o Brasil

Candidato do PSL diz que pretende ir aos debates desde que não haja uma suposta "interferência externa".

Da redação, Estadão Conteúdo,
Fernando Frazão/Agência Brasil
Bolsonaro lamentou o aumento de casos de violência motivados por política e disse que gostaria que elas parassem.

SELO-ELEIÇÕES-2018-100O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, afirmou neste sábado (13), que o candidato do PT, Fernando Haddad, tentou dividir o Brasil ao criticar ao bispo Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus, que apoia o capitão reformado no segundo turno das eleições. Bolsonaro afirmou também que pretende ir aos debates desde que não haja uma suposta "interferência externa". Além disso, disse que é "escravo" da Constituição.

"A última divisão por parte do Haddad foi uma crítica aos evangélicos. Ele usou uma figura de uma autoridade do meio evangélico. Nós temos que unir a todos, não interessa a religião, cor de pele, opção sexual", afirmou Bolsonaro, em referências a críticas do petista . A Universal rebateu em nota as declarações do candidato.

O presidenciável do PSL voltou a comentar a escalada de casos de violência motivadas por disputas políticas. "Lamento essas agressões. Gostaria que elas parassem", afirmou Bolsonaro. "Apelo a todos do Brasil que deixem as paixões de lado. Não estamos disputando um Fla-Flu".

Debates 'sem interferência'

Bolsonaro disse também que concorda em ir a debates "sem interferência externa", referindo-se à suposta influência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na campanha de  Haddad. Ele afirmou ainda que num governo petista quem escolheria os ministros seria Lula.

"Se for debate só eu e ele (Haddad), sem interferência externa  (de Lula), eu topo comparecer. Estou pronto para debater; tem que ser sem participação de terceiros", disse, em meio a uma gravação de programas eleitoral na casa do empresário Paulo Marinho, no Jardim botânico, bairro da zona sul do Rio.

"(Se Haddad vencer), quem vai escalar time de ministros será o Lula. Não adianta (ele) ter boas propostas se vai ter indicação política", continuou. "O mais  importante é ter independência para escalar um time de ministros componentes".

Tags: Eleições 2018 Jair Bolsonaro
A+ A-