Bolsonaro prega união do País e repreende general Mourão publicamente

Candidato do PSL concedeu entrevista ao vivo ao Jornal Nacional, nesta segunda.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Reprodução/TV
Ao comentar declarações polêmicas de Mourão, Bolsonaro disse que "ele é general, eu sou o capitão, mas o presidente sou eu".

SELO-ELEIÇÕES-2018-100O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, afirmou na noite desta segunda-feira (8) ao Jornal Nacional, da TV Globo, que pretende unir o País se for eleito ao Planalto. Ele também repreendeu publicamente o vice na sua chapa, general Hamilton Mourão (PRTB).

"Nós vamos pacificar e unir o povo brasileiro", disse o candidato. Bolsonaro afirmou ainda que vai ser "escravo da nossa Constituição".

O candidato colocou ainda o vice em saia-justa. Ao comentar declarações polêmicas de Mourão, Bolsonaro disse que "ele é general, eu sou o capitão, mas o presidente sou eu". 

Ele disse ainda que falta tato ao vice e que ele foi infeliz em falas recentes. Bolsonaro errou ainda o nome de Mourão duas vezes - o chamou de Augusto, em vez de Hamilton.

Em um aceno ao eleitorado no Nordeste, Bolsonaro disse que é uma fake news dizer que ele vai acabar com o Bolsa Família. Ele agradeceu ainda os votos "de lideranças evangélicas, do homem do campo, dos caminhoneiros, de membros das forças armadas e policiais".

Bolsonaro se comprometeu ainda que não pretendem recriar a CPMF e prometeu isentar de pagamento de Imposto de Renda quem ganha até cinco salários mínimos.

Tags: Eleições 2018 Jair Bolsonaro Jornal Nacional
A+ A-