Reitor do IFRN diz que instituição terá que cortar bolsas de pesquisa

Wyllys Farkatt afirma que contingenciamento de recursos da Educação inviabiliza atividades.

Flávio Oliveira,
Reprodução/Nominuto
Reitor do IFRN, Wyllys Farkatt, disse que irá revisar contratos para reduzir número de terceirizados para manter atividades acadêmicas.

O reitor do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), Wyllys Farkatt, disse que está realizando um diagnóstico interno para viabilizar o funcionamento da instituição após a decisão do governo federal de contingenciar os recursos na Educação.

De acordo com Farkatt, existe uma grande probabilidade de cortar bolsas de pesquisa e de extensão, para manter o ano letivo. “Nós estamos trabalhando para que isso não ocorra. Primeiro nós estamos fazendo o diagnóstico de remanejamentos internos e otimização de recursos para não comprometer a qualidade das atividades acadêmicas que desempenhamos. Provavelmente teremos que suspender todas as bolsas de pesquisa, de extensão para tentar alocar esses recursos para o pagamento dos nossos contratos”, explicou.

O reitor declarou ainda que pode ser necessária a redução no quadro de funcionários terceirizados e revisão de contratos. “Estamos atuando também no diagnóstico de demissão de servidores terceirizados. Isso pode acontecer para que os valores desses contratos sejam reduzidos e possamos pagar outros contratos”, disse Farkatt.

Nesse trabalho de reestruturação administrativa do IFRN, o reitor afirmou que tem procurado apoio político e também assistência jurídica. “Estamos atuando em outras frentes no ponto de vista política, com a bancada federal e estadual, também de apoio aos institutos e também no campo jurídico – porque parece que tem implicações jurídicas”, ponderou.

“Nós estamos querendo garantir a continuidade das nossas atividades, mesmo diante do prejuízo para outras ações que são tão importantes para a formação dos nossos estudantes – como é a pesquisa, a extensão, como são as aulas de campo e assim por diante”, defendeu Farkatt.


Confira o vídeo:


FO.

Tags: Educação IFRN
A+ A-