Fiern: decisão sobre legalidade da candidatura de Flávio ainda não tem data prevista

A decisão será definitiva para a posse de Azevedo em dezembro. Caso seja contrária, quem assume é Amaro Sales.

Karla Larissa,
Vlademir Alexandre
Flávio Azevedo ainda aguarda decisão da Justiça para tomar posse.
Vencida a batalha das urnas nas eleições da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (Fiern), o presidente Flávio Azevedo terá que aguardar agora a decisão da Justiça que irá definir se poderá ser empossado ou não em dezembro. Essa decisão de 2ª instância do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) ainda não tem data marcada para ser proferida.

Segundo o advogado de Flávio Azevedo, Erick Pereira essa decisão final será para definir a representatividade do Sindicato da Indústria dos Artefatos de Cimento (Sinprocim) e conseqüentemente as candidaturas de Flávio e o seu filho Sérgio Azevedo.

Para o advogado a decisão deve demorar cerca de 60 dias, o que seria em cima do prazo para posse em dezembro. “Acho que o resultado da eleição interfere pelo aspecto da vontade da maioria. Esperamos que ele possa ser em empossado”, declara.

A alegação para a defesa, de acordo com Pereira, é de que desde 1972 o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon) não representa a indústria do cimento, como defendem o advogado do presidente do Sinduscon Sílvio Bezerra, Gleydsson Oliveira.

Caso a decisão seja contrária a posse de Azevedo, quem irá assumir a presidência, conforme o regulamento, será o 1º vice-presidente, Amaro Sales.
A+ A-