'Eu, como cidadão, acho que está um pouquinho alto o dólar', diz Bolsonaro

Ontem, moeda americana atingiu cotação recorde e Guedes reagiu dizendo que 'é bom para todos'.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Arquivo/Agência Brasil
Bolsonaro disse que costuma conversar com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, para saber o motivo da alta do dólar.

Após alta recorde do dólar na quarta-feira (12) o presidente Jair Bolsonaro avaliou que o preço da moeda está "um pouquinho alto". Ele não quis comentar a declaração polêmica do ministro da Economia, Paulo Guedes. Para ele, uma taxa de câmbio mais alta é “boa para todo mundo” e que o dólar mais barato estava prejudicando as exportações e permitindo que empregada doméstica fosse para a Disneylândia.

"Pergunta para quem falou isso. Eu respondo pelos meus atos", disse Bolsonaro ao ser questionado sobre a fala de Guedes por jornalistas na saída do Palácio da Alvorada nesta quinta-feira (13). "Respondo pelos meus atos", insistiu diante de novos questionamentos sobre o que achou da declaração.

Ele disse que costuma conversar com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, para saber o motivo da alta do dólar, mas que não interfere diretamente nas decisões da área econômica. O presidente considera que o valor a cotação de R$ 4,35 do dólar está "um pouquinho alto".

"De vez em quando eu converso com o Roberto Campos (Neto). Vocês sabem que eu entendo para burro de economia, sabem disso. E está dando certo a economia por causa disso, porque eu não interfiro. Por exemplo, quando acaba a reunião do Copom, quando decide 4,25 (%), daí eu converso: 'Roberto, o que aconteceu?'. Apenas depois que aconteceu. Eu, como cidadão, está um pouquinho alto, está um pouquinho alto o dólar", declarou o presidente.

Tags: alta do dólar Jair Bolsonaro
A+ A-