Dólar incia a semana em baixa de 0,73%, cotado a R$ 3,6789

Ibovespa registrou valorização de 1,63%, com 85.596 pontos.

Da redação, Estadão Conteúdo,

A confiança dos investidores na vitória de Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno das eleições presidenciais movimentou o mercado nesta segunda-feira (22). O dólar encerrou o dia em baixa ante o real, na contramão do viés mais positivo da divisa dos EUA no exterior. A moeda fechou cotada a R$ 3,6789, queda de 0,73%.

Na mínima do dia, o dólar voltou a cair a R$ 3,6697 (-1,22%) - menor valor desde o piso registrado na sessão de quarta-feira passada R$ 3,6733). O declínio reflete um desmonte de posições compradas por parte de algumas tesourarias, como também por exportadores e investidores estrangeiros.

Já a Bolsa avançou 1,63%, aos 85.596,69 pontos, em meio ao bom humor com a perspectiva de estímulo de Pequim à economia chinesa e ao cenário eleitoral. A pesquisa CNT/MDA divulgada nesta segunda-feira, 22, confirmou que o militar da reserva lidera com folga as intenções de voto. Tem 57% da preferência, enquanto Fernando Haddad (PT) tem 43%.

Bolsa de valores

A alta do Ibovespa é apoiada por todas as blue chips, como são chamadas as principais ações do mercado. Nesse grupo, os destaques são a Vale e também a Petrobras. Segundo analistas, as duas companhias beneficiam-se da melhora de perspectiva para a economia chinesa.

O governo da China revelou planos de isentar de imposto de renda grandes gastos familiares, incluindo educação e despesas com moradia, como parte de uma estratégia para impulsionar a confiança e o consumo.

Apesar de agenda econômica e corporativa ser fraca nesta segunda, já há expectativa sobre divulgação de balanços contáveis. Na próxima quarta-feira, 24, a Fibria e a Weg abrem a safra antes do pregão, e à noite é a vez de Vale, Via Varejo e Localiza.

A Petrobras informou que divulgará seus resultados no dia 06 de novembro, antes da abertura do mercado. Nos Estados Unidos, grandes empresas americanas divulgam resultados trimestrais ao longo da semana, incluindo Alphabet (Google), Amazon, Intel, Boeing, Ford, Microsoft e McDonald's.

Tags: dólar Ibovespa
A+ A-