Campos de petróleo no RN serão leiloados em setembro

Com venda de terras em vários estados do Nordeste, governo quer duplicar produção.

Da redação,
Arquivo/Petrobras

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, lançou nesta quinta (22), o Programa de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural em Terra - REATE 2020. A iniciativa proporcionará o desenvolvimento regional e o aumento da produção de óleo e gás em terra, com perspectiva de dobrar a atual produção de gás natural, passando dos atuais 25 milhões de metros cúbicos por dia para mais de 50 milhões.

Em seu discurso, Bento Albuquerque destacou a previsão de investimento nos próximos anos. “Estimamos que os investimentos, em exploração e produção de petróleo e gás terrestres, saiam do atual patamar de R$ 1,6 bilhão anual para uma média de R$ 4 bilhões, um crescimento de 150%.  Dessa forma, até 2030, o “onshore” receberá 40 bilhões de reais em novos investimentos. A cifra pode parecer alta, mas representa, apenas, dois anos de investimento na região de Vaca Muerta, no “onshore” da Argentina.

O ministro também confirmou a realização de leilão, em 10 de setembro, no qual serão oferecidas 263 áreas em terra, contemplando 249 blocos exploratórios em sete estados do Nordeste como Rio Grande do Norte, Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Piauí e Sergipe, além do norte do Espírito Santo. Bento Albuquerque complementou: “a partir do leilão, a perspectiva é de duplicação da produção de gás em 10 anos, com o gás crescendo em um ritmo maior que o do petróleo”. Além disso – ressaltou -, até 2030 a produção, no mínimo, dobrará, saindo de 270 mil para 500 mil barris diários de óleo equivalentes”.

O REATE 2020, que complementa os avanços alcançados pela versão anterior, abre importantes perspectivas com potencial de produção de óleo e gás em pelo 14 estados, de Norte ao Sul do país - Alagoas, Amazonas Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Piauí, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e Sergipe.

Na ocasião, o ministro também assinou Portaria que aprova o projeto Parque dos Gaviões, da empresa Eneva, situado na Bacia do Parnaíba, Maranhã, com projeto prioritário para emissão de debêntures incentivadas. Bento Albuquerque também falou sobre a geração de empregos, cuja estimativa é de 700 mil novos postos de trabalho a partir da meta do REATE de produzir, até 2030, 500 mil barris de óleo equivalentes/dia.

Anunciou também que o MME publicará, em breve, a atualização da Portaria do Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infraestrutura – REIDI, que estabelece procedimentos para aprovação de projetos nas áreas de petróleo, gás natural e combustíveis, a exemplo de dutovias e infraestruturas de processamento de gás natural.

Concluindo sua fala, Bento Albuquerque lembrou a construção e a consolidação de um Plano de Ação Integrado do REATE 2020, que deverá ser encaminhado ao Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) em dezembro, na cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte. “Tenho certeza que com o apoio e a atuação de todos os segmentos envolvidos com o programa, seremos capazes de vencer os desafios de explorar e desenvolver toda a potencialidade do “onshore” brasileiro. Neste rumo estaremos trabalhando e entregando os resultados que a sociedade tanto almeja e merece”, encerrou o ministro.

Tags: Economia Petrobras Petróleo Rio Grande do Norte
A+ A-