BRF registra prejuízo de R$ 1,574 bilhão no segundo trimestre

Segundo a companhia, período foi marcado por medidas impostas pelos mercados europeu e chinês e greve dos caminhoneiros.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Alvinmarkbuen
Prejuízo da BRF no segundo trimestre deste ano é 846,4% maior do que o registrado em igual período do ano passado, de R$ 166 milhões.

A BRF registrou prejuízo líquido de R$ 1,574 bilhão no segundo trimestre de 2018, informou a companhia nesta sexta-feira (10). O prejuízo é 846,4% maior do que o registrado em igual período do ano passado, de R$ 166 milhões.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ficou negativo em R$ 289 milhões no período, ante o desempenho positivo de R$ 575 milhões comparação anual. Já a receita líquida da BRF somou R$ 8,181 bilhões, alta de 1,9% ante o segundo trimestre de 2017.

Segundo a companhia, o trimestre foi marcado pelas restrições impostas pelo mercado europeu, greve dos caminhoneiros, pelas medidas antidumping impostas preliminarmente pela China, banimento da insensibilização elétrica na fase de abate do frango halal e pelo aumento no preço dos grãos.

"Como consequência destes eventos adversos, a indústria realizou um forte ajuste de alojamento de  frangos que, por sua vez, deverá ser positivo para rentabilidade dos produtores em períodos seguintes", declarou a companhia por meio de nota.

O resultado financeiro líquido ficou negativo em R$ 792 milhões no segundo trimestre de 2018, aumentando 14% ante igual período de 2017, quando as despesas ficaram em R$ 695 milhões, conforme balanço divulgado.

Dentre as justificativas, o desempenho foi causado por juros líquidos, relacionados à dívida e aplicação do caixa, de R$ 300 milhões no trimestre. Além disso, a variação cambial gerou prejuízo de R$ 101 milhões por causa da "desqualificação de certas dívidas e derivativos", afirma a BRF. Ainda no segundo trimestre de 2018, somente as despesas não recorrentes somaram R$ 672 milhões.

Tags: BRF Economia Perdigão Sadia
A+ A-