Banco Central projeta inflação de 4% para 2007

A alta nos juros ocorre depois de quatro anos seguidos de recuo.

Agência Brasil,
O Índice de Preços ao Consumidor amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, deve chegar ao fim deste ano em 4%, patamar superior ao de 2006 (3,14%). A projeção consta do Relatório Trimestral de Inflação relativo a setembro divulgado nesta quinta-feira (27) pelo Banco Central (BC).

Desta vez, a estimativa de inflação do Banco Central para este ano ficou acima das projeções dos analistas de mercado, que passaram de 3,5% para 3,9%. Segundo o BC, o motivo da alta é a elevação dos preços livres (que não são monitorados).

De acordo com o documento, ao contrário do que ocorreu em 2006, quando o comportamento da inflação foi favorecido pelo preço dos alimentos, em 2007 tem sido afetada negativamente pela reversão disso, ou seja, pela alta dos preços de alimentos.

A projeção do Banco Central para o IPCA em 2008 passou de 4,1% para 4,2%, enquanto os analistas de mercado projetam 4,3%, contra os 4,6% projetados anteriormente.

A alta ocorre depois de quatro anos seguidos de recuo. Depois de fechar 2006 em 3,14%, o IPCA voltou a subir em 2007. “De fato a inflação acumulada em 12 meses, que havia recuado para 2,96% em março, subiu para 3,69% em junho, atingiu 4,18% em agosto e provavelmente encerrará o ano em patamar bem superior ao registrado em 2006”, .

Segundo o relatório, os preços administrados (tarifas de energia, telefonia, de transporte e combustíveis) têm sido bastante benignos, com a inflação acumulada até agosto de 1,19%, ante 3,07% em 2006. De qualquer forma, o BC acredita que a dinâmica dos preços ainda indica que a inflação tende a continuar evoluindo, segundo a trajetória de metas.

O relatório informa que a expectativa da inflação é menos favorável devido aos riscos, tanto do ponto de vista de fatores externos (a crise financeiras norte-americana), quanto internos (o aumento do consumo a partir da queda dos juros).
A+ A-