Aftosa: RN tentará antecipar reclassificação para médio risco

Governo aproveita presença de secretário nacional durante evento regional para sensibilizá-lo. Larissa Rosado vai propor um termo de compromisso.

Elaine Vládia,
Vlademir Alexandre
Secretária tentará antecipar reclassificação
A governadora Wilma de Faria autorizou nesta segunda-feira (1º) a abertura de licitação para realização do concurso público que deverá fazer com que o Rio Grande do Norte avance de classificação de área de risco desconhecido da febre aftosa para médio risco. A medida, fundamental para o avanço, será informada nesta terça-feira (2) ao secretário nacional de Defesa Agropecuária, do Ministério da Agricultura, da Pecuária e do Abastecimento, Inácio Afonso Kroetz. Porém, o Governo quer ir mais além: deverá solicitar a antecipação na evolução da classificação, sem ter que esperar para a contratação dos novos servidores.

A intenção foi informada ao Nominuto.com neste último final de semana, durante o Festival Gastronômico de Mossoró. A secretária de Agricultura, Larissa Rosado, disse que lutarão para que a classificação seja expedida antes da convocação dos concursados, e tentarão isso através de um termo de compromisso, que pode vir a ser assinado pelo Governo do Estado.

A transformação do Rio Grande do Norte em área de médio risco foi assegurada pelo ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, durante audiência com a governadora, na semana passada. A reclassificação deveria ocorrer após o encaminhamento do concurso público para contratação dos 97 profissionais, ampliando o quadro do Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária (Idiarn).

A tentativa de sensibilização do Ministério acontecerá durante reunião do Conselho dos Secretários de Agricultura do Nordeste que começa nesta terça-feira (2), às 9h, no Parque de Exposições Aristófanes Fernandes, em Parnamirim. Na ocasião, será lançada a segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa, que se estende até o dia 31 de outubro. Segundo informações extra-oficiais, as chances do Estado conseguir a reclassificação em breve são muito altas.

União necessária
Segundo Larissa Rosado, após a mudança na classificação do Rio Grande do Norte, somente restarão os estados da Paraíba, Alagoas, Ceará e Piauí como área de risco desconhecido no Nordeste, o que irá dificultar uma maior integração da genética nordestina, notadamente em relação à realização do intercâmbio nas feiras e exposições agropecuárias.

Por isso, a coordenadora do evento alerta: “temos que nos unir aos estados ainda não reclassificados para, junto ao Ministério, traçarmos um plano de trabalho para a região, para que até o próximo ano, os quatro estados restantes, se transformem também em área livre da aftosa”.

A elaboração de um plano de metas regional no combate à aftosa será o tema central da reunião do Conselho dos Secretários de Agricultura do Nordeste. O Conselho vai contar com as presenças dos secretários dos estados nordestinos que virão acompanhados dos presidentes dos institutos ou agências de defesa e inspeção agropecuária, além dos superintendes federais da Agricultura.

Vacinação
Larissa Rosado convoca os criadores para continuarem a fazer a sua parte adquirindo as vacinas com antecedência para a realização da vacinação até o final deste mês, e logo em seguida fazendo a declaração do rebanho vacinado no Idiarn ou na Emater mais próxima para que o Estado continue sem registrar casos de aftosa.

Para a secretária, a perspectiva mais concreta da decretação do Rio Grande do Norte como território livre da aftosa deverá aquecer eventos do setor agropecuário como a Festa do Boi, que irá fechar o Circuito Estadual de Exposições Agropecuárias. Somente este ano, o Governo do Estado investiu R$ 1,7 milhão para viabilizar o Circuito. Juntos, os eventos do setor devem movimentar cerca de R$ 150 milhões.
A+ A-