Bolsonaro não minimizou questão do trabalho infantil, diz Damares

Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos disse que "esse governo veio para proteger crianças".

Da redação, Agência Brasil,
Marcelo Camargo/Agência Brasil
Ministra Damares Alves durante evento em celebração aos 29 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente.

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, negou hoje (5) que o relato do presidente Jair Bolsonaro sobre ter trabalhado quando criança represente uma naturalização do trabalho infantil.

"A nossa geração trabalhou cedo. Eu trabalhei muito cedo. Nossos pais trabalharam muito cedo. Mas isso não quer dizer que nós vamos descriminalizar isso. Não vamos fazer qualquer política em relação a isso. Ele citou o exemplo dele. E fiquem tranquilos, porque esse governo veio para proteger crianças e nós temos a certeza de que o trabalho infantil é uma violação de direitos e não pode ser permitido", disse Damares, quando questionada sobre o assunto pela Agência Brasil.

"O que o governo vai fazer agora é o fortalecimento do Jovem Aprendiz. Isso, sim", complementou, emendando que tem feito apelos ao Congresso Nacional para que reservem verbas para a pasta que comanda.

A ministra concedeu entrevista durante a entrega de oito carros à Secretaria de Justiça e Cidadania do Distrito Federal. Os veículos serão utilizados pelos membros dos 40 conselhos tutelares que atendem à capital federal.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que cerca de 2,5 milhões de crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos estão trabalhando no país. Sabe-se ainda que, somente entre 2014 e 2018, o Ministério Público do Trabalho registrou mais de 21 mil denúncias de trabalho infantil no país.

Tags: Damares Alves Direitos Humanos Trabalho infantil
A+ A-