Presidente da CCJ admite que pode pautar PEC do Orçamento antes da Previdência

Deputado Felipe Francischini afirmou que vai avaliar até esta sexta-feira a inclusão da proposta na pauta.

Da redação ,
Dida Sampaio / Estadão
O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, Felipe Francischini (PSL-PR), admitiu a possibilidade de pautar a proposta de emenda à constituição do Orçamento impositivo antes de dar continuidade ao debate da reforma da Previdência no colegiado.

"Minha posição é de que a prioridade é a Previdência. Como todos os líderes estão pedindo para pautar rapidamente a impositiva, sem prejudicar a Previdência, vou avaliar até amanhã esta inclusão na pauta", disse ele ao Estadão/Broadcast. Francischini afirmou que a equipe do governo não vê problema na inclusão da PEC do Orçamento, "desde que agilize a Previdência".

"É uma pauta de consenso. Mas vou decidir de toda maneira amanhã sobre a inclusão da pauta e o relator da impositiva", disse.

Na quarta-feira, líderes partidários ameaçaram atrasar a votação da reforma da Previdência. A estratégia passa por votar o texto do Orçamento impositivo antes de apreciar a reforma. Se esse roteiro não for seguido, os líderes do Centrão prometem obstruir a votação. Assim, não se apreciaria nenhum dos dois temas.

Centrão

Os líderes do MDB, Baleia Rossi (SP) e do PDT, André Figueiredo (CE), divergiram nesta quinta-feira sobre a estratégia aventada por siglas do Centrão e da oposição de inverter a pauta da CCJ para votar a PEC do Orçamento antes da reforma da Previdência.

Rossi afirmou que o seu partido não irá aderir à estratégia. Já Figueiredo disse que sua bancada, contrária à reforma da Previdência, se unirá ao movimento. "Da nossa parte, este não é o caminho", afirmou Rossi. "É uma estratégia do Parlamento, não apenas do Centrão", disse Figueiredo.

Tags: Câmara dos Deputados Congresso Nacional
A+ A-