Beto Rosado e Fábio Faria são os deputados que mais gastaram com cotas parlamentares

Natália Bonavides e o General Girão foram os representantes do Estado que utilizaram menos recursos.

Rafael Araújo, Câmara dos Deputados,
Arquivo Nominuto
Em consulta realizada pelo Nominuto, Beto Rosado e Fábio Faria aparecem como os representantes que mais gastaram cotas parlamentares.

Os deputados federais Beto Rosado (PP) e Fábio Faria (PSD) foram os representantes do Rio Grande do Norte que mais gastaram cotas parlamentares no exercício do atual mandato durante o mês de fevereiro, com gastos de aproximadamente R$ 14 mil e R$ 13 mil, respectivamente. Os dados foram consultados pelo portal Nominuto.com, em levantamento realizado através do site da Câmara dos Deputados.

Ainda de acordo com o levantamento, os deputados General Girão (PSL) e Natália Bonavides (PT), aparecem como os mais econômicos. O parlamentar do partido do presidente Jair Bolsonaro utilizou R$ 1.648,21 da cota, enquanto a petista usou apenas R$ 1.413,49.

A consulta feita pelo portal foi realizada na manhã desta sexta-feira (8) e leva em consideração apenas os gastos com cotas parlamentares informados através do site oficial da Câmara dos Deputados. Entre os gastos referentes às cotas parlamentares estão os custos com passagens aéreas, telefones fixo e celular do gabinete e gastos com publicidade.

De acordo com o site da Câmara dos Deputados, o salário atual de um deputado federal é R$ 33.763,00. A remuneração mensal leva em conta o comparecimento às sessões deliberativas do Plenário. Ausência não justificada leva a desconto no salário.

Além das cotas parlamentares, os deputados federais também recebem verba de gabinete. Cada deputado tem R$ 111.675,59 por mês para pagar salários de até 25 secretários parlamentares, que trabalham para o mandato em Brasília ou nos estados. Eles são contratados diretamente pelos deputados, com salários de R$ 1.025,12 a R$ 15.698,32.

Encargos trabalhistas como 13º, férias e auxílio-alimentação dos secretários parlamentares não são cobertos pela verba de gabinete - são pagos com recursos da Câmara.

Os deputados federais também têm direito a receber um auxílio-moradia no valor de R$ 4.253,00 quando não conseguem ocupar um dos 432 apartamentos funcionais que a Câmara tem em Brasília.

O auxílio-moradia pode ser pago diretamente em dinheiro, com desconto do Imposto de Renda na fonte; ou por reembolso, mediante a apresentação de recibo de aluguel ou hotel. O reembolso é isento de Imposto de Renda.

Confira o ranking de gastos:

Beto Rosado (PP) – R$ 14 mil

Fábio Faria (PSD) - R$ 13 mil

João Maia (PR) – R$ 12 mil

Rafael Motta (PSB)  - R$ 6 mil

Walter Alves (MDB) – R$ 4,6 mil

Benes Leocádio (PRB) – R$ 4,5 mil

General Girão (PSL) - R$ 1,6 mil

Natália Bonavides – (PT) R$ 1,4 mil

* Matéria atualizada para correção de informações 
* Valores ajustados de acordo com gastos referente ao mês de fevereiro* Errata: Com a correção das informações, o deputado Walter Alves deixou de figurar a lista dos mais gastadores, enquanto Fábio Faria apareceu em segundo no 'ranking'.

Tags: beto rosado fabio faria
A+ A-