‘Quero ser uma voz para os alunos brasileiros’, diz premiada em feira de ciências

Como prêmio, Juliana Estradioto poderá batizar um asteroide com seu nome.

Da redação, Estadão Conteúdo,

Juliana Estradioto conquistou a premiação máxima na categoria de Ciência dos Materiais da Intel International Science and Engineering Fair (Isef), uma das maiores feiras de Ciências do mundo. Como prêmio, ela poderá batizar um asteroide com seu nome. 

 Vencedores do Prêmio Nobel já foram laureados com o Isef, como Paul Modrich. E Juliana está credenciada para participar de uma cerimônia da entrega do Nobel. 

"Desde pequena, sempre gostei muito de estudar, ainda que às vezes achasse o conteúdo ensinado na escola longe da minha realidade. Quando estava terminando o ensino fundamental, minha mãe me incentivou a ir estudar no Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS), muito conhecido na minha cidade, Osório, pela excelência do ensino", afirmou Juliana Estradioto.

Ela disse ainda que foi aprovada para fazer o curso técnico em Administração, integrado ao ensino médio, mesmo não se vendo trabalhando nessa área. "Fui para o curso pela qualidade do aprendizado e foi a melhor decisão que tomei. Como não existe a oferta de muitos cursos - são só duas opções -, os professores de todas as disciplinas nos incentivam a ir atrás dos nossos interesses. Mostram que não precisamos ficar restritos ao que é ensinado em uma área específica. No meu caso, foi a professora de Gestão da Produção e Qualidade que me despertou para a pesquisa", comentou. 

Juliana disse que seu sonho é seguir como cientista, como pesquisadora. Ela está estudando para entrar em Química em uma boa universidade pública e está testando o uso desse material que produziu como curativo em cicatrizes de pele. Segundo ela, é a parte mais desafiadora e que vai demandar mais investimento.

Tags: Juliana Estradioto
A+ A-