Astrônomos revelam primeira imagem de um buraco negro já registrada

Foto foi feita graças à colaboração internacional, que reúne quase uma dúzia de radiotelescópios no mundo.

Da redação, Estadão Conteúdo,
European Southern Observatory/AFP
Imagem foi feita graças a uma colaboração internacional chamada Event Horizon Telescope.

Um círculo escuro no meio de um disco resplandecente: a imagem de um buraco negro, a primeira na história da astronomia, foi apresentada ao mundo nesta quarta-feira (10).

O primeiro "monstro cósmico" a ser registrado foi detectado no centro da galáxia M87, a cerca de 50 milhões de anos-luz da Terra, segundo os responsáveis pelo projeto internacional chamado Event Horizon Telescope (EHT). A existência do buraco negro é investigada há mais de 25 anos, como mostra o Acervo Estadão.

"Uma distância difícil de imaginar", admite Frédéric Gueth, astrônomo e vice-diretor do Instituto de Radioastronomia Milimétrica (IRAM), na Europa, que participou da pesquisa. 

A imagem foi feita graças à colaboração internacional EHT, que reúne quase uma dúzia de radiotelescópios no mundo, da Europa ao Polo Sul, passando pelo Chile e Havaí.

Combinando esses locais, como se fossem pequenos fragmentos de um gigante por meio de uma técnica chamada interferometria, os astrônomos puderam formar um observatório virtual do tamanho da Terra, com o qual "um jornal aberto em Paris poderia ser lido de Nova York", segundo Gueth.

A imagem, almejada por muitos anos e até agora apenas simulada em computador, é tema de seis artigos publicados nesta quarta-feira na revista científica Astrophysical Journal Letters, assinada por mais de 200 autores de mais de 60 órgãos científicos. A foto foi apresentada em seis entrevistas coletivas simultâneas pelo mundo.

Tags: Ciências
A+ A-