Seminário discute a relação da cidade com o cinema como negócio

Ideia é debater sobre as estratégias para alavancar o potencial da capital potiguar para esse setor.

Da redação, Sebrae,
Agência Sebrae
Ideia do Seminário Audiovisual e Mercado é debater sobre as estratégias para alavancar o potencial da capital potiguar para esse setor.

Uma das mais importantes linguagens da arte no século 21, o audiovisual, as novas plataformas e a capacidade de transformação das cidades entram em discussão no Seminário Audiovisual e Mercado, que será realizado no período de 24 a 28 de setembro, no auditório do Sebrae no Rio Grande do Norte.

A ideia é debater sobre as estratégias para alavancar o potencial da capital potiguar para esse setor. Isso porque Natal tem uma singularidade visual e cultural capaz de atrair diretores e produtores de cinema, publicidade e televisão na busca de locações para suas produções de filmes de longa-metragem, documentários e comerciais de tevê. A abertura do evento ocorre no dia 24, às 19h30.  As inscrições podem ser feitas pelo Sympla.

O seminário é uma iniciativa do Goiamum Audiovisual por meio da Casa de Produção, em comemoração aos dez anos do festival potiguar, e foi um dos projetos selecionados no Edital de Economia Criativa do Sebrae em 2019. Um dos objetivos do evento é também ampliar noção de audiovisual como negócio, pois, para cada real investido nessa atividade, volta para os cofres públicos pelo menos R$ 2,60 em impostos, logo, a atividade é superavitária e lucrativa para o Estado.

Estão programadas palestras, debates, painéis, workshops e mesas redondas com profissionais de prestígio e de alcance internacional na área do audiovisual, economia criativa e cidades inteligentes. Algumas atividades são abertas ao público e gratuitas, e outras voltadas para profissionais, estudantes de cinema, tevê e publicidade, games e também interessados em marketing e economia criativa em geral.

Entre os temas que encabeçam o Seminário Audiovisual e Mercado está a palestra de abertura, “Audiovisual, economia criativa e cidades: aliados em busca de um futuro”, proferida pela economista Ana Carla Fonseca Reis, da Garimpo Soluções. Ana Carla tem atuação mundial em economia criativa, cidades criativas, negócios e o futuro do trabalho.

Também participa do evento André Faria, que é representante da Rede Brasileira de Film Comission (Rebrafic). Ele vai abordar o tema “Os benefícios trazidos pelas Film Comission”, no dia 25. As redes de Filme Comission são responsáveis por apoiar e atrair os produtores nacionais e internacionais para promover as regiões do Brasil, trazendo desenvolvimento econômico através de produções audiovisuais. Hoje, o setor do audiovisual reúne 13 mil produtoras e cerca de 300 mil empregos diretos.

“Pensamos este encontro da Rede Brasileira de Film Comission com os profissionais locais, gestores e setores governamentais como o primeiro passo para um desdobramento com objetivo prático de tornar nossas cidades cenários viáveis para o audiovisual, como já acontece em outras regiões. Um potencial para gerar emprego, renda e promover o turismo”, avalia a produtora Keila Sena, idealizadora do Seminário.

Cinema no Nordeste

Dois temas de grande importância para quem atua no Nordeste também estão na pauta. A mesa “Produzindo no nordeste do Brasil” (dia 26/9, às 19h30), que contará com o produtor João Vieira Jr. – PE (Carnaval Filmes). Vieira produziu o longa “Estou me guardando para quando o carnaval chegar”, dirigido por Marcelo Gomes, o qual, será lançado em Natal na programação do Seminário.

O premiado documentário mostra como a cidade de Toritama, no agreste pernambucano, considerada um centro ativo do capitalismo local, produz mais de 20 milhões de jeans anualmente, em suas fábricas caseiras. Orgulhosos de serem os próprios chefes, os proprietários destas fábricas trabalham sem parar em todas as épocas do ano, exceto o carnaval: quando chega a semana de folga eles vendem tudo que acumularam e descansam em praias paradisíacas.

Já o painel “Mercado e formatos de negócios” (dia 27/9, às 14) contará com a presença de Daniela Fernandes – BA, representante da prestigiada rodada de negócios Nordeste Lab e Dimas – Divisão de Meios Audiovisuais. Ramiro Azevedo (RS), diretor dos canais Prime BOX Brazil e Programadora Independente S.A. falará no Painel:“Mercado independente: produtoras e programadoras”.  A empresa da qual é diretor é conhecida do público também pelos canais Music Box Brazil, Travel Box Brazil e FashionTV Brasil – que operam diretamente o licenciamento de conteúdos.

Bárbara Sturm (SP) da Produtora Elo Company, uma referência em vendas de produtos audiovisuais on damand e em projetos de cinema, vai ministrar um workshop “Como vender você e seu projeto para um pitching” na manhã de sábado (18/9). São estratégias para elaboração de pitch para atrair investidores para projetos audiovisuais.

Também serão abordados temas como Coprodução, com a presença do carioca Fernando Muniz, que tem projeto para produzir três longas-metragens no Rio Grande do Norte, que vai dividir a mesa com o realizador Carlos Segundo (RN) que também é coordenador do Curso de Audiovisual da UFRN e acaba de lançar seu longa Fendas.

E ainda a proteção e o direito no cinema, através da oficina “O direito na cadeia produtiva audiovisual” com Paula Tupinambá – RJ (Pougy e Tupinambá Advogados Associados). Sobre o Painel “Panorama do Audiovisual Potiguar”, haverá desdobramentos para tratar de Educação, Festivais, Coletivos, Produtoras Independentes, Interiorização e Memória.

Tags: Sebrae Seminário Audiovisual e Mercado
A+ A-