Samu: servidores garantem que greve será deflagrada na quinta-feira (27)

Assembléia na quarta-feira (26) será apenas para definir como será a paralisação, de forma a garantir 30% dos serviços.

Karla Larissa,
arquivo Nominuto
Greve é pelo reajuste salarial.
A proposta de reajuste dos técnicos em enfermagem e enfermeiros do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) não foi atendida pela Secretaria Municipal de Saúde e a greve nesta quinta-feira (27) já é dada como certa.

Segundo o comando de greve, haverá apenas uma assembléia na quarta-feira (26) para definir como será a paralisação, garantindo o funcionamento dos 30% dos serviços. Nesta terça-feira (25), os servidores tentam um encontro com o Prefeito Carlos Eduardo, pela manhã.

Na pauta apresentada à SMS, o reajuste seria de 525 reais para 1.000 reais para o técnico de enfermagem, e de 2.100 para 2.440 para o enfermeiro. No entanto, a proposta da Secretaria é de aumento para 700 reais e 2.200 reais, respectivamente. “A pauta não foi aceita e a secretária não negociou mais”, explica Wilma Fernandes, técnica em enfermagem do Samu.

Segundo Wilma, ainda há uma expectativa de que a secretária Aparecida França volte atrás e acate a proposta da categoria. “Vamos tentar falar com o prefeito”, afirma.

Entre as reivindicações dos servidores do Samu também estão a diminuição da carga horária e a contratação de novos servidores. Em reunião com Aparecida França, ficou acertada a redução da carga horária de plantões de 12 para nove, além da contratação de 37 técnicos de enfermagem, em caráter temporário até a realização de concurso em março.
A+ A-