Redução de tarifa: Caern apelará à juíza para reconsiderar decisão

Empresa explica que já está tomando medidas recomendadas e essa medida deve trazer prejuízo de um milhão de reais e interferir na qualidade dos serviços.

Karla Larissa,
A Caern vai fazer um pedido de reconsideração da decisão à juíza Vanessa Lissandra Monteiro já nesta quarta-feira (29) para tentar reverter sua decisão publicada hoje (28) para que a empresa passasse a cobrar, em 30 dias, 50% do valor da tarifa para consumidores de bairros prejudicados com altos graus de nitrato na água.

Tendo como base que o pedido feito pelo Ministério Público foi que a redução de 50% fosse feita somente após o término do prazo de nove meses, estabelecido pela primeira liminar, se a Caern não cumprisse determinações, a Caern alega que decisão é antecipada.

O prazo seria para que a Caern construísse duas adutoras – do Jiqui e Rio Doce – para resolver o problema de contaminação do nitrato na água ofertada nesses bairros. De acordo com o diretor técnico, Clóvis Veloso, os recursos da ordem de 14,5 milhões de reais já estão assegurados. As licitações das obras já estão em andamento. Os editais já foram publicados e estão aguardando as obras poderem ser iniciadas. “Esperamos atender ao pedido até o final do prazo”

O assessor jurídico, Lucinaldo Oliveira, disse que se esse pedido de reconsideração não for aceito, terão até a próxima segunda-feira para recorrer. Espera que o bom senso prevaleça e que seja considerado pela juíza que isso significaria uma redução brutal no orçamento, refletindo na prestação de outros serviços da companhia.

O diretor comercial e financeiro da companhia, Plínio Veras Lobo, por sua vez, estima que seria um impacto de um milhão de reais, algo significativo que poderia interferir na queda da qualidade do serviço.
A+ A-