Ponte é inaugurada, mas problemas na Praia do Meio continuam

Comerciantes reclamam de cratera que se abriu no calçadão da praia. De acordo com a Semsur, o problema deve continuar pelo menos até janeiro do próximo ano.

Thyago Macedo,
Fotos: Fábio Rabelo
Problema no calçadão acontece há pelo menos seis meses.
Em meio aos festejos de inauguração da Ponte Newton Navarro, um problema de infra-estrutura preocupa os moradores da região, principalmente, da Praia do Meio. Uma enorme cratera que a cerca de seis meses se abriu no calçadão continua afastando banhistas e turistas, segundo os comerciantes do local.

É o que explica Francisco Araújo Júnior. Ele mora em Santos Reis e vende caranguejo na Praia do Meio. O comerciante destacou que “as autoridades estão esquecendo das praias do centro de Natal. A ponte está ai, mas acho que o movimento aqui na praia vai continuar do mesmo jeito”.

Júnior informou que na Praia do Meio não tem banheiros públicos e a manutenção não é feita no local. “Desse jeito, não tem turista que queira vir passear por aqui. Nem banheiro tem para eles usarem. Além disso, tem parte do calçadão que está caído os pedaços”, lembra.

Ele afirmou que há pelo menos seis meses parte do calçadão cedeu e continua do mesmo jeito até hoje. “A prefeitura até veio aqui. Mas, a medida que eles tomaram foi colocar uma cerca no local”, explicou.

Júnior reclamou dos problemas de infra-estrutura da Praia do Meio.
Por esses motivos, Francisco Júnior acredita que fluxo de turista não aumentará na praia. “Eles vão ficar só passando pela ponte, mas acredito que eles não virão aqui para a praia. Porém, no geral, a construção da obra é muito válida”, completou.

E o problema deve se estender até o início de 2008, período de alta estação. A previsão é da própria Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur). De acordo com a assessoria de imprensa do órgão, o projeto de reestruturação do calçadão já está em fase de conclusão.

A assessoria explicou que depois disso, o secretário Raniere Barbosa irá atrás de recursos junto ao Governo do Estado para iniciar o processo licitatório. Com isso, a perspectiva é que as obras comecem em janeiro.
A+ A-