Mais de 100 mil agricultores sofrem com a estiagem

A falta de chuvas tem provocado a perda de lavouras.

Karla Larissa,
A falta de chuvas em algumas regiões do Rio Grande do Norte tem deixado mais de 100 mil agricultores em dificuldades. A estiagem já provocou perdas de algumas culturas, como a da castanha de caju e a do feijão. O alerta é da Federação dos Trabalhadores da Agricultura (Fetarn), que nesta quarta e quinta-feiras (21 e 22) irá realizar o conselho deliberativo da entidade para cobrar ações dos governos.

De acordo com o presidente da Fetarn, Manoel Cândido, há pelo menos quatro anos não se via uma estiagem como a deste ano, que tem sido sentida, principalmente, pelas regiões Central, Trairi e do Mato Grande. “Este ano choveu menos e, desde o ano passado, vem piorando. Com isso, o prejuízo está sendo acumulado”, desabafa.

Cândido relata que, diante da seca, a cultura de castanha do caju, principal sustentação dos agricultores dessa região, já tem sido prejudicada, assim como outras mais tradicionais, como o feijão. “A situação está muito difícil nos municípios que não têm água armazenada e dependem de carro-pipa. A lavoura está se perdendo e os animais já têm o que comer”, conta.

Para os agricultores, agora só resta uma saída: pedir ajuda ao Governo do Estado. “Tem que ter um abastecimento de água permanente e ações de manutenção alimentar dessas pessoas. Esse problema não aconteceria se alguns programas, como o Garantia- Safra, fossem explorados”, enfatiza Manoel Cândido.
A+ A-