Governo e IFRN vão oferecer capacitação para queijeiras do Seridó

Ideia é começar os cursos em fevereiro de 2020; serão oferecidas 60 vagas, com duração de 2 meses.

Da redação, Governo do Estado,
Assecom-RN
Reunião entre governo, IFRN e Funcern definiu o modelo de capacitação para as 39 queijeiras que serão construídas e regularizadas no Seridó.

Capacitar os queijeiros beneficiários do projeto Governo Cidadão é a próxima meta do Governo do Estado. Nesta quarta-feira (30), o secretário de Gestão de Projetos e Metas, Fernando Mineiro, reuniu-se com diretores do IFRN, Funcern e Centro de Tecnologia do Queijo de Currais Novos para definir o modelo de capacitação para as 39 queijeiras que serão construídas e regularizadas no Seridó. A ideia é começar os cursos em fevereiro de 2020.

Serão disponibilizadas 60 vagas no curso, que terá duração de dois meses. Além de aprenderem o processo regular de fabricação de queijo artesanal e doces, os queijeiros também irão ter aulas sobre como manusear e instalar os equipamentos. “Nosso objetivo com essa parceria não é ensiná-los a fazer queijo, porque isso eles sabem muito bem. É mostrar como ocorre o processo de produção de acordo com a legislação vigente, para quando as queijeiras estiverem prontas, estejam aptos a trabalhar de maneira plena”, destaca Mineiro.

O curso será oferecido em parceria com o IFRN, através da Fundação de Apoio à Educação e ao Desenvolvimento Tecnológico do RN (Funcern) e do CTQueijo, com recursos do acordo de empréstimo com o Banco Mundial. Participaram da reunião o diretor do IFRN em Currais Novos, Andreilson Oliveira, o representante da Funcern Francisco Lima, o coordenador do CTQueijo Ramon Araújo e equipes técnicas do projeto Governo Cidadão e Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sape).

Saiba mais

O Edital de Leite e Derivados é uma iniciativa do Governo do Estado, via Governo Cidadão, Secretaria de Agricultura e Banco Mundial, e tem como objetivo estruturar e equipar as queijeiras do Seridó, em um investimento total de R$ 20 milhões. Ao todo, 39 queijeiras estão ligadas às duas cooperativas selecionadas na chamada pública – Capesa e Coafs. Ao fim da execução, elas estarão regularizadas de acordo com as exigências sanitárias exigidas por lei e aptas a entrarem no mercado formal.

Serão feitos a adequação da infraestrutura, aquisição de maquinário e equipamento necessário, melhoria na logística do transporte, comercialização e capacitação dos funcionários da comunidade. A regularização é importante para que as cooperativas recebam o selo das instituições sanitárias vigentes: Serviço de Inspeção Municipal; Instituto de Defesa e Inspeção Sanitária (Idiarn); Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Tags: capacitação queijeiras do Seridó
A+ A-