Governadora veta Ielmo Marinho e Maxaranguape na Grande Natal

Uma das justificativas foi a falta de região urbana nas duas cidades. Se fossem incluídas, Região Metropolitana passaria a contar com 12 municípios.

Lara Paiva,
A Governadora Rosalba Ciarlini vetou a adição dos municípios de Ielmo Marinho e Maxaranguape na Região Metropolitana de Natal. Se fossem adicionados, o bloco passaria a contar com 12 municípios.

Rosalba argumentou que os dois municípios, por mais que estejam na mesma posição geográfica, não apresentam região urbana. E além disso, não sofrem com o fenômeno de conurbação, quando há unificação da malha urbana de duas ou mais cidades, em consequência de seu crescimento geográfico.

A inclusão das duas cidades no bloco de município da Grande Natal foi proposto através de dois projetos de leis feitos pela Assembleia Legislativa em 2011, aprovados  nesse ano, ainda antes do recesso, e em seguida encaminhados para governadora.

O Projeto de Lei Complementar (PLC) 008/11, que incluiria Maxaranguape na Grande Natal, foi de autoria do deputado estadual George Soares, sob argumento que foi o município que mais cresceu nos últimos 10 anos e está na mesma posição geográfica de outros integrantes da Região, tais como São José de Mipibu, Vera Cruz e Ceará Mirim.

Poti Júnior, autor da PLC 011/11, defendia que Ielmo Marinho deveria ser inclusa na bloco de município, porque fica próximo ao Aeroporto de São Gonçalo do Amarante e vai enfrentar situações próprias da Região Metropolitana, como mobilidade urbana, especulação imobiliária, instalação de empresas e limpeza pública.

Ao todo, a Região Metropolitana de Natal tem dez municípios: Ceará Mirim, Extremoz, Macaíba, Monte Alegre, Nísia Floresta, Parnamirim, São Gonçalo do Amarante, São José de Mipibu e Vera Cruz.
A+ A-