Central de Regulação de Leitos é promessa para amenizar superlotação dos hospitais

A expectativa da Secretaria de Saúde do Estado (Sesap) é de que o sistema esteja no ar até o próximo dia 22 de outubro.

Redação,
Prometida há anos como a melhor alternativa para amenizar os transtornos com a superlotação de hospitais como o Walfredo Gurgel, cheio de pacientes internados precariamente, inclusive, em corredores, a Central de Regulação de Leitos finalmente tem data para começar. A expectativa da Secretaria de Saúde do Estado (Sesap) é de que o sistema esteja no ar até o próximo dia 22 de outubro.

A Central vai ordenar e reduzir o envio de pacientes do interior para os hospitais de Natal e está inserida dentro do Complexo Estadual de Regulação do SUS/RN, que é uma unidade de apoio hospitalar 24h.

Ela será operada pelo sistema Sisreg do Ministério da Saúde (MS). Para isso, a Sesap já disponibilizou equipamentos de informática e acesso à Internet em todos os hospitais públicos da rede. Os profissionais que trabalharão na Central de Leitos serão treinados na segunda quinzena de outubro.

Segundo o coordenador do Complexo Regulador Estadual da Sesap, Carlos Eduardo de Albuquerque, a Central irá garantir que nenhum paciente saia do seu local de origem desnecessariamente, sendo que a transferência será feita apenas quando a vaga estiver garantida.

O procedimento será da seguinte forma: o médico que estiver acompanhando o paciente no município, ao identificar que ele apresenta um quadro grave e precisa ser levado à capital, entrará em contato com o médico regulador, que através do sistema da Central de Leitos, indicará se ele pode ser enviado ou se deve aguardar por vagas, além do hospital mais adequado para recebê-lo. Também o médico que irá atender o paciente em Natal poderá obter seu histórico clínico através da Central.

A Coordenadoria de Hospitais e Unidades de Referência (COHUR) e a Coordenadoria de Planejamento das Ações de Saúde (CPCS) da Sesap pretendem colocar mais especialistas para aumentar a resposta à população de cada região do Estado. Já existem nove médicos reguladores. A meta é de que sejam 18 médicos nas áreas de exames de alta complexidade e internação hospitalar.

A Central irá ordenar o envio de pacientes, não só para o Walfredo Gurgel, mas para todos os hospitais da capital, como o Hospital Infantil Maria Alice Fernandes, o Hospital Maternidade Santa Catarina e o Hospital Psiquiátrico João Machado.
A+ A-