Bancos públicos entram em greve a partir desta quinta-feira (4)

Os bancários resolveram entrar em greve por tempo indeterminado após assembléia realizada nesta terça-feira (2).

Redação,
Após assembléia realizada nesta terça-feira (2), o Sindicato dos Bancários decidiu entrar em greve por tempo indeterminado. A paralisação será a partir desta quinta-feira (4), devido ao feriado desta quarta-feira, quando as agências não abrem.

De acordo com o diretor financeiro do Sindicato, Marcos Tinoco, a categoria irá realizar outra assembléia às 8h desta quinta-feira (4), na sede do Sinte para definir se retornam ao trabalho ou mantém a paralisação no estado, “amanhã na Assembléia vamos fazer um balanço no quadro geral e votar, se continuamos ou não a paralisação, mas a tendência é continuar”, disse Marcos Tinoco.

O diretor financeiro do Sindicato explicou o motivo da paralisação, “a última contra proposta que foi apresentada pelo Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Banco do Nordeste não apresentou nenhum avanço nas questões específicas como plano de cargos e salários, sem proposta de melhorias há mais de três anos. Outra questão fundamental é a isonomia salarial entre os funcionários novos e antigos, melhoria na Participação nos Lucros e Resultados, entre outras questões”. 

A categoria reivindica também a ampliação do horário de atendimento nas agências, que passaria a ser das 9h às 16h, além do reajuste salarial de 29,27% para a rede privada e a recuperação de 80% a 100% para os bancários da rede pública, referente a perdas acumuladas desde a instituição do Plano Real. Os bancários também querem Plano de Cargos e Salário (PCS) e contratação de 1.000 concursados por mês. 

Os funcionários dos bancos públicos do Rio Grande do Norte não seguiram a tendência do Comando Nacional dos bancários, que recomendou aos 150 sindicatos que integram a Contraf (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro) acatar a oferta de reajuste salarial feita na segunda-feira (1º) pela Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), que entre outras coisas previa reajuste salarial de 6%. Com a decisão, os potiguares não deverão contar com os serviços bancários do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal e do Banco do Nordeste. Já os bancos privados funcionam normalmente. 

Segundo Marcos Tinoco a paralisação é nacional, onde já entraram em greve os bancos públicos nos estados do Maranhão, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Brasília e São Paulo, “a tendência é que todos os bancos do país paralisem suas atividades desde hoje”, ressaltou.
A+ A-