Bancários do RN ameaçam iniciar greve na próxima quinta-feira (4)

Os servidores deverão seguir a determinação do comando nacional e tomarão decisão na terça-feira (2).

Karla Larissa,
Ana Paula
Bancários devem deflagrar greve por tempo indeterminado.
Mesmo tendo recebido uma proposta maior de reajuste da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) com a realização da paralisação de 24 horas desta sexta-feira (28), os bancários ainda não estão satisfeitos e ameaçam greve geral a partir de quarta-feira (3). No estado, em razão do feriado dos mártires, o movimento deverá começar na quinta-feira (4), dependendo de uma definição em assembléia geral, na terça-feira (2), às 18h, na sede do Sinte/RN.

A proposta da Fenaban saltou de 4,82% para 5,2% de reajuste para todos os bancos, no entanto não corresponde à reivindicação da categoria que é de 29, 27% para os bancos privados e entre 80 a 100% para os bancos públicos, correspondes as perdas acumuladas desde 1994.

O comando de greve e a Federação já tiveram dez encontros e mesmo a pauta de negociações tendo sido entregues a quase dois meses, os banqueiros só apresentaram a primeira proposta na semana passada.

Segundo o presidente do Sindicato estadual dos bancários, Liceu de Carvalho, a greve deverá ser deflagrada em função da falta de propostas aceitáveis. “Não temos como progredir sem um movimento forte”, justifica.

Liceu explica que o comando de greve nacional está orientando para que a greve aconteça por tempo indeterminado, caso as negociações não avancem. “A greve está quase certa aprovamos o indicativo nesta quinta-feira (27)”, enfatiza.

Além do reajuste, a categoria também reivindica um aumento na PLR- participação nos Lucros e Resultados para que seja distribuído entre os funcionários 25% do lucro líquido; a isonomia salarial e o aumento do horário de atendimento ao público das 9h às 17h, em dois turnos.
A+ A-