Apesar da movimentação ser em nível nacional, nem todos os bancos do RN aderiram

Assembléia na próxima terça (2/10) decidirá novos rumos da campanha salarial.

Ana Paula Oliveira,
Ana Paula Oliveira
Funcionários do Banco Santader Banespa foram pressionados a não aderir à greve.
Em menos de duas semanas da última paralisação (apenas uma hora), os bancários novamente paralisam suas atividades, só que desta vez por 24 horas.

Durante todo o dia desta sexta-feira (28) bancários e líderes sindicais estarão fazendo movimentos em frente a alguns bancos públicos e privados do Estado.

O detalhe é que mesmo sendo um movimento nacional, nem todos os bancos aderiram à greve.É o caso do Banco Santader Banespa, da Avenida Rio Branco, que de acordo com uma funcionária (que não quis se identificar) estava sendo pressionado. Segundo ela, a gerente do banco estava ligando para todos os funcionários, fazendo ameaças.

De acordo com Luciano Pinheiro, funcionário do Banco do Brasil, a idéia é sensibilizar a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e o governo federal com propostas melhores. “A única proposta da Fenaban, até o momento, foi um reajuste de apenas 4,86%, o que não foi aceito pela categoria”, disse  Pinheiro.

Segundo ele, os bancos reabrem normalmente na segunda (1º) e terça-feira (2), porém, na terça haverá mais uma assembléia, no auditório do SINTE, para definir novos rumos da campanha salarial. 

“A gente nunca quer greve, mas somos forçados a fazer porque as negociações já começaram desde o dia 1º e nada que nós solicitamos foi atendido”, afirmou.
A+ A-