Agricultores de Bodó vão produzir polpa de fruta em nova unidade de beneficiamento

Investimentos, via projeto Governo Cidadão e Banco Mundial, são da ordem de R$ 393 mil.

Da redação, Governo do RN,
João Vital/Assecom
Unidade vai aproveitar todo o potencial frutífero da região para beneficiamento, além de gerar emprego e renda em todas as comunidades vizinhas.

A agroindústria de polpa de fruta da comunidade Paraíso, em Bodó, está praticamente pronta. E o sonho dos 43 agricultores associados está ainda mais perto de se realizar. Por meio de um projeto do Governo do Estado, via projeto Governo Cidadão e Banco Mundial, eles receberam investimentos da ordem de R$ 393 mil para construir uma unidade que vai aproveitar todo o potencial frutífero da região para beneficiamento, além de gerar emprego e renda em todas as comunidades vizinhas.

Os planos são audaciosos. Além de produzir polpa de fruta de caju, maracujá, graviola e manga para revender a grandes empresas, eles querem usar os equipamentos para produzir e empacotar macaxeira a vácuo, que atualmente é vendida a R$ 5,00 o quilo na cidade.

“Estamos muito confiantes e felizes de ver nosso prédio pronto. Vamos finalizar mais alguns detalhes, licitar os equipamentos e começar nossa produção em no máximo três meses”, conta o presidente do Núcleo de Produtores Cooperados de Paraíso, Adriano Assunção.

nova-unidade-de-beneficiamento2-H

Um dos objetivos do grupo é obter a certificação para poder comercializar seus produtos para gigantes como a Ster Bom. Só a câmara fria adquirida pelo projeto tem capacidade para armazenar oito toneladas de polpa de frutas, o que garante uma produção em larga escala para os agricultores. O potencial frutífero da região é tão grande que há produtores com até 60 hectares plantados.

As agricultoras Francisca Medeiros, Elisângela Soares e Maria de Lourdes Albuquerque estão felizes da vida. “Faz tempo que a gente sonha com nossa fábrica e agora vai dar certo. A gente não vê a hora de ter isso aqui funcionando”, diz Maria de Lourdes, que mesmo aos 71 anos, se mantém ativa na associação de produtores e quer contribuir com as atividades na agroindústria de polpa.

Além da implantação da unidade de beneficiamento de polpa de fruta, o projeto incluiu a aquisição de equipamentos conforme padrão de qualidade exigido para manipulação de alimentos, criação de logomarca e rótulos para comercialização, aquisição de veículo adaptado para utilização na agroindústria e produção agroecológica, com sustentabilidade na disposição e reaproveitamentos dos resíduos sólidos das frutas para fabricação de ração e produção de compostos orgânicos.

Tags: agroindústria Bodó polpa de fruta unidade de beneficiamento
A+ A-