Polícia acredita em falha humana no choque entre trens

Delegado pretende ouvir maquinista ainda esta semana. Das 12 pessoas internadas, um continua em estado grave.

A polícia acredita que o acidente entre dois trens ocorrido na última quinta-feira (30) em Austin, Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, onde oito pessoas morreram e 101 ficaram feridas, tenha sido causado por falha humana. 

Depois de três horas de inspeção no Centro Operacional de Controle, a polícia descartou, por enquanto, a possibilidade de que o choque tenha sido causado por uma falha nos equipamentos.

Segundo o delegado Fábio Pacífico, titular da 58ª DP (Posse), a investigação deve se concentrar na possibilidade de falha humana no Centro de Controle do Tráfego Ferroviário.

Concessionária só se pronunciará dia 10 de setembro 

A SuperVia, concessionária de trens do Rio de Janeiro, informou que só vai se pronunciar no dia 10 de setembro, depois que os trabalhos investigativos estiverem concluídos.

O delegado pretende ouvir ainda esta semana o maquinista Wellington da Rocha Barros, 31 anos, que teve alta no fim de semana. Barros pilotava o trem com cerca de 800 passageiros que se chocou com outro vazio, na quinta-feira (30).

O caso também será investigado pelo Ministério Público, pela Agência Reguladora de Transporte Público e pela SuperVia.

A SuperVia começou a atender parentes das vítimas do acidente pelo número 0800-726-9494 para agendar reunião com os representantes da concessionária de trens. A ligação é gratuita.

Indenizações 

A empresa vai receber as famílias para discutir o pagamento de indenizações, que serão analisadas de acordo com cada caso.

Entre as vítimas, o que está em estado mais grave é Edmir dos Santos, 26 anos, internado na clínica Mário Lioni, em Duque de Caxias, Baixada Fluminense, que continua em coma induzido e respira com a ajuda de aparelhos. 

Fonte: G1
A+ A-