Movimentação de talude em Barão de Cocais acelera e atinge até 20 cm, diz ANM

Receio das autoridades é que o rompimento possa atingir a barragem sul superior, 1,5 quilômetro abaixo da contenção do talude norte.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Minas Gerais/FDR
Previsão da Agência Nacional de Mineração era de rompimento do talude norte da mina de Gongo Soco ocorresse no sábado.

O talude norte da mina de Gongo Soco da mineradora Vale em Barão de Cocais (MG) passou a se movimentar 20 centímetros por dia em alguns pontos isolados e 15,7 centímetros por dia em sua porção inferior, segundo informações divulgadas pela Agência Nacional de Mineração (ANM). 

No sábado (25), no boletim anterior publicado pela agência, a velocidade da movimentação era de 14,1 centímetros por dia na parte inferior e 19 centímetros por dia nos pontos mais críticos. A previsão da agência era de que rompimento ocorresse até ontem.

A Defesa Civil continua monitorando a movimentação do talude, conforme informações da Agência Brasil. O risco de rompimento segue no nível 3, o mais alto, de acordo com o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico da cidade e membro efetivo da Defesa Civil. O receio das autoridades é que o rompimento possa atingir a barragem sul superior, 1,5 quilômetro abaixo da contenção do talude norte.

A Vale avisou autoridades acerca da movimentação do talude no último dia 13, quando a movimentação era de 4 centímetros por dia - a previsão anunciada pela companhia era de que o talude desmoronaria entre o último dia 19 e este final de semana. A barragem da mineradora está localizada a 100 quilômetros de Belo Horizonte.

Tags: Barão de Cocais barragem
A+ A-