Lula diz que biodiesel brasileiro é uma "semente que vai dar muito fruto"

A produção do biodiesel foi um dos assuntos tratados pelo presidente durante a visita aos países nórdicos.

Agência Brasil,
Ricardo Stuckert/PR
O presidente Lula e o primeiro-ministro dinamarquês, Anders Fogh Rasmussen
Ao fazer um balanço de sua viagem aos países nórdicos (Finlândia, Suécia, Dinamarca e Noruega), além da Espnha, onde está nesta segunda-feira (17), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o Brasil “é um país com a economia arrumada”, o significa motivação para investidores estrangeiros. Também registrou o potencial dos biocombustíveis para o futuro da economia brasileira.

“Eu poderia dizer que a casa está arrumada, as coisas estão acontecendo, o mercado interno está crescendo, o poder aquisitivo do povo está crescendo e isso, obviamente, motiva investidores”, afirmou em seu programa de rádio Café com Presidente. “Se você pegar a Suécia como exemplo, tem 200 empresas suecas no Brasil”, acrescentou.

Entre os assuntos tratados pelo presidente na viagem, esteve a produção do biodiesel brasileiro. “A União Européia decidiu que até 2020 vai introduzir na gasolina ou no óleo diesel, 10% de biocombustíveis. Isso implica que o Brasil pode ter uma participação extraordinária porque ninguém tem a tecnologia que o Brasil tem para produzir etanol”, afirmou em seu programa de rádio.

Segundo Lula, o biodiesel brasileiro é uma “semente que certamente vai dar muito fruto”. “O mundo desenvolvido vai ter de cumprir o Protocolo de Quioto, e no Protocolo de Quioto, eles vão ter de colocar algum combustível menos poluente e é exatamente aí que entra o Brasil, que entra a tecnologia brasileira, que entra o conhecimento brasileiro”, afirmou.

Lula ainda assegurou que a crise no mercado financeiro americano não irá atingir o Brasil. “Porque estamos com a indústria crescendo, porque estamos com a educação crescendo, porque estamos com a renda crescendo. Obviamente que ainda falta fazer muita coisa no Brasil”, disse. “Você não pode consertar 500 anos em 5 anos, mas você pode colocar alicerces importantes para que nos próximos anos o Brasil finalmente se transforme em uma nação altamente desenvolvida”, concluiu.
A+ A-