Exame detecta novo coágulo e Bruno Covas permanece internado

Prefeito de São Paulo continua exercendo o cargo e despachando do Hospital Sírio-Libanês.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Gilberto Marques/Governo de São Paulo
Bruno Covas não apresentou reações depois da 1ª sessão de quimioterapia que recebe para tratar do câncer no sistema digestivo.

Um ecocardiograma realizado neste domingo (3) mostrou um novo coágulo, no átrio direito, do prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB). Com isso, Covas continuará internado no Hospital Sírio-Libanês para "adequação da anticoagulação", segundo informou uma nota publicada pela equipe médica nesta segunda-feira (4). Ainda não há, portanto, previsão de alta.

"Um ecocardiograma realizado dia 3/11 no prefeito Bruno Covas mostrou novo coágulo, no átrio direito. Exames subsequentes, entre os quais uma angiotomografia arterial e venosa do tórax, demonstrou redução dos sinais de tromboembolismo pulmonar e o surgimento de um pequeno trombo junto ao cateter venoso central. Por isso, a equipe médica decidiu pela permanência hospitalar para adequação da anticoagulação", diz a nota assinada pelo Dr. Fernando Ganem, diretor de Governança Clínica do Sírio-Libanês.

Na última sexta-feira (1º), a equipe médica informou que Bruno Covas não apresentou reações depois da primeira sessão de quimioterapia que recebe para tratar do câncer no sistema digestivo. O prefeito continua exercendo o cargo e despachando do hospital.  

Entenda a cronologia do caso de Bruno Covas

O prefeito foi internado no dia 23 de outubro para tratar um quadro de erisipela, doença infecciosa da pele e que normalmente atinge os membros inferiores do corpo. Dois dias depois, durante um exame de pet scan, Covas foi diagnosticado com trombose venosa das veias fibulares, que ficam na perna.

Na sequência, exames constataram tromboembulismo pulmonar e tumores no trato digestivo. No dia 27, a análise dos tumores apontou que as lesões eram malígnas e se espalharam para outras partes do aparelho digestivo: no fígado e em linfonodos da região abdominal.

Covas permaneceu no hospital devido à tromboembolia pulmonar, que obriga seu acompanhamento médico constante. Na última terça-feira, 29, o prefeito passou pela sua primeira sessão de quimioterapia. A expectativa era de que ele poderia obter alta do hospital nesta segunda, 4, mas a detectação deste novo coágulo deve adiar sua ida para casa.

Segundo a equipe médica, o prefeito deve passar por mais duas sessões de quimioterapia, sendo que a próxima deve ocorrer dentro de duas semanas. Os médicos ainda não descartam que, depois das medicações, Covas tenha que passar ainda por algum procedimento cirúrgico

Leia a nota da equipe média desta segunda, na íntegra:  

Um ecocardiograma realizado dia 3/11 no prefeito Bruno Covas mostrou novo coágulo, no átrio direito. Exames subsequentes, entre os quais uma angiotomografia arterial e venosa do tórax, demonstrou redução dos sinais de tromboembolismo pulmonar e o surgimento de um pequeno trombo junto ao cateter venoso central. Por isso, a equipe médica decidiu pela permanência hospitalar para adequação da anticoagulação.

 O prefeito Bruno Covas está sendo acompanhado pelas equipes médicas coordenadas pelo Prof. Dr. David Uip, pelo Prof. Dr. Roberto Kalil Filho, Prof. Dr. Raul Cutait, Dr. Artur Katz, Dr. Tulio Eduardo Flesch Pfiffer, Dr. Cyrillo Cavalheiro Filho e Dr. Andre Enaime Vallentsits Estenssoro.

 Dr. Fernando Ganem 

Tags: Bruno Covas novo coágulo
A+ A-