Congonhas opera com pistas reduzidas, mas sem nova sinalização

Infraero afirma que alterações físicas nas pistas estão em estudo.

O Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul da Capital, tem neste sábado (15) o primeiro dia de operações com as pistas reduzidas em 150 metros em cada cabeceira para criação de áreas de escape. A pista principal passou de 1940 metros para 1640 metros, enquanto a auxiliar foi alterada de 1435 metros para 1195 metros.

De acordo com a assesssoria de imprensa da Infraero, a operação ocorre ainda sem a demarcação de nova sinalização na pista, pois a empresa realiza estudos para as alterações físicas.

Até as 11h, estavam programados 73 vôos. Sete foram cancelados e não foi registrado, até o horário, nenhum atraso superior a uma hora. O movimento é considerado tranqüilo nos terminais.

Mudanças

Na sexta-feira (14), a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) enviou comunicado às companhias aéreas para que façam os cálculos sobre o desempenho de suas aeronaves com a redução das pistas do Aeroporto de Congonhas (SP). Os cálculos serão analisados pelos técnicos da Anac.

De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil, as restrições ocorrem com notificação de NOTAM (aviso aos aeronavegantes) emitido pelo Departamento de Controle de Espaço Aéreo (DECEA). O documento determina as novas disponibilidades no comprimento da pista.

Segundo a agência, "a pintura de novas marcações de toque está condicionada à transferência de local dos sistemas GS (Glide Slope) - que são ondas de rádio pela qual as aeronaves passam e o PAPI (sistema de iluminação térrea de pista). Tais providências ocorrerão em um segundo momento".

A TAM anunciou na quinta-feira (13), que já a partir deste final de semana – 15 e 16 de setembro – os pousos e decolagens com as aeronaves Airbus A319 e A320 serão realizados exclusivamente na pista principal do aeroporto.

Fonte: G1
A+ A-