Brinquedos devem ficar mais caros no Dia das Crianças

Nova regra de controle de qualidade aumentou custos e deve encarecer produtos.

Divulgação
Preço de brinquedos para o Dia das Crianças deve aumentar.
As novas regras de controle de qualidade dos brinquedos vendidos no Brasil ameaçam estragar o Dia das Crianças, em 12 de outubro, e o Natal dos fabricantes do setor.

Segundo o diretor-presidente do Icepex, um dos institutos responsáveis pela certificação de brinquedos nacionais e importados, Sergio Diogo, o aumento nos custos de certificação para as empresas de brinquedos deve triplicar.

A nova norma foi baixada pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) depois que duas empresas anunciaram o recall de brinquedos no Brasil, a Mattel e a Gulliver.

“Para não tomar prejuízo, os fabricantes e importadores vão ter de aumentar os preços dos brinquedos, que vão ficar pelo menos 20% mais caros”, afirmou Diogo.

Para o presidente da Associação Brasileira dos Importadores de Brinquedos (Abrimpex), Eduardo Benevides, o impacto no Dia das Crianças ainda será pequeno, mas que para o Natal haverá alta de preços e falta de brinquedos no mercado.

“Vai ter algum aumento para o Dia de Crianças. Para o Natal vai ser maior”, afirmou. “Os importadores vão absorver uma parte desse valor. Mas outra parte vai ser repassada para o consumidor.”

Certificação

A portaria do Inmetro, que está em vigor desde o último dia 27, exige que o produto importado seja certificado lote a lote. Antes, os grandes importadores podiam optar pelo sistema de avaliação por amostra. Na época em que publicou a portaria, o próprio Inmetro avaliou que haveria aumento de custos para os grandes importadores.

No caso das empresas nacionais, haverá uma alternativa à verificação por lotes, mas que também é mais cara (coleta anual com verificação de semestral) e só serve para os produtores com sistema de qualidade, como ISO 2001, uma minoria no país.

O diretor do Icepex diz que as empresas ainda estão tendo dificuldades em se adaptarem às novas regras e que nem todos conseguiram garantir o abastecimento para o Dia das Crianças antes da mudança nas normas.

“Embora muitas pessoas digam que o Dia das Crianças já está garantido, e que o preço vai ser mantido, eu acho que já haverá um aumento. Até para compensar o prejuízo que haverá no Natal. Isso, se não faltar brinquedos”, disse.


Fonte: G1
A+ A-