UFC 205: McGregor nocauteia Alvarez e se torna primeiro campeão em duas divisões distintas simultaneamente

Artur Dantas,

Foto: UFC

A edição 205 do UFC, realizada em Nova York, mostrou o motivo de ter sido considerada histórica. Pela primeira vez desde a fundação, um lutador conseguiu acumular dois cinturões simultaneamente, e o papel coube a Conor McGregor, que não tomou conhecimento do então campeão dos leves, Eddie Alvarez, e nocauteou o americano no segundo round da luta principal da noite. Agora, o irlandês ostenta as cintas da divisão dos penas e da categoria até 70 quilos. O evento foi realizado no Madison Square Garden. 

No coevento principal, o campeão dos meio-médios, Tyron Woodley, travou um combate movimentado de cinco rounds contra Stephen Thompson, e reteve o título mas não sem antes um fato inusitado ter ocorrido. Mesmo sendo declarado o resultado com um duplo 47-47 e 48-47, o vencedor anunciado foi Woodley, quando, na verdade, o placar configura um empate majoritário, ficando com o atual campeão o título. 

Em outra luta que valia cinturão, Joanna Jedrzejczyk derrotou a compatriota polonesa Karolina Kowalkiewicz e permaneceu com a cinta de divisão peso palha. Na segunda luta do card principal, Chris Weidman foi nocauteado por Yoel Romero no início do terceiro round após sofrer uma joelhada voadora que entrou em cheio no rosto do ex-campeão dos médios, forçando a intervenção do árbitro central. 

No combate de abertura do card de cima, Miesha Tate foi derrotada por decisão unânime por Raquel Pennington e anunciou a aposentadoria do MMA, para surpresa dos presentes e até do comentarista Joe Rogan. 

No card preliminar, Frankie Edgar derrotou Jeremy Stephens, em combate válido pelo peso pena, por decisão unânime, enquanto Khabib Nurmagomedov não tomou conhecimento de Michael Johnson e o finalizou com uma Kimura no terceiro round depois de ter dominado parte do primeiro round e o segundo com um jogo de quedas eficiente.

Já entre os brasileiros, o saldo foi negativo. Dos três que entraram em ação no evento, dois saíram perdedores. Rafael Sapo Natal foi nocauteado por Tim Boetsch, nos médios, enquanto Thiago Pitbull, estreando entre os leves, perdeu para o jogo de solo implacável de Jim Miller. O destaque verde e amarelo ficou por conta de Vicente Luque, que garantiu um nocaute avassalador sobre Belal Muhammad em apenas 1m19s do assalto inicial. 

Confira abaixo os relatos das principais lutas

Conor usa precisão para massacrar Alvarez e se tornar campeão em outra categoria

A marra comum de Conor McGregor ganhou um pouco mais de combustível no evento principal da noite do UFC 205. Ao longo da promoção do evento, o irlandês, que é conhecido também por acertar previsões das suas lutas, garantiu que entraria na história do Ultimate ao se tornar detentor de dois cinturões ao mesmo tempo. E assim o fez. 

Contra Eddie Alvarez, Conor soube aproveitar a envergadura e trabalhou bem a distância desde o início do combate para frustrar as iniciativas do então campeão da divisão até 70 quilos. Com precisão nos socos e contragolpes com a mão esquerda, McGregor conseguiu nada menos que três knock downs no primeiro round, frustrando Alvarez e mostrando domínio das ações e boa esquiva de golpes. Ao longo do assalto, “Notorious” circulou bem e teve sucesso em evitar as tentativas de queda de Eddie, que mostrou boa recuperação e absorção de golpes. 

No entanto, no segundo round, McGregor mostrou a mesma calma da parcial seguinte e, ao tentar encurtar e encaixar um soco, Alvarez recebeu um cruzado de direita e dois de esquerda que resultaram em outro knock down, seguido de golpes no ground and pound que forçaram a intervenção do árbitro John McCarthy.

Em entrevista após conquistar o novo cinturão, McGregor voltou a se proclamar como o melhor lutador da atualidade, e exigiu que o outro cinturão fosse levado ao octógono para que ele pudesse exibir para a volumosa e barulhenta torcida irlandesa presente no Madison Square Garden. 

Após início de luta morno, Romero nocauteia Weidman

Chris Weidman veio para a luta no card principal contra Yoel Romero disposto a trilhar novamente o caminho que lhe colocaria na mira do cinturão dos médios. Entretanto, diante do cubano, o ex-campeão da divisão até 84 quilos falhou na missão e foi nocauteado no terceiro round, depois de dominar as ações no primeiro assalto e na metade da segunda parcial. 

Com um jogo bem sólido que incluiu chutes nas pernas e na linha de cintura do oponente, Weidman confundiu o cubano e deixou claro que tentaria colocar em prática o jogo de quedas. E até conseguiu isso em algumas oportunidades, mas sem tanta contundência. 

A partir da segunda metade do round 2,  Romero cresceu em produção e passou a devolver os chutes e buscar mais o combate. No minuto final, chegou a colocar Weidman no solo em duas oportunidades, sendo na segunda com mais volume, que englobou ainda socos no ground and pound. 

No início do terceiro round, Weidman continuou com a estratégia, mas o curso da luta mudou de lado em uma jogada de Yoel. O cubano fintou uma tentativa de queda e entrou com uma joelhada voadora de esquerda que derrubou o americano ao entrar em cheio no rosto. Em posição de defesa, Weidman ainda recebeu duros golpes até o combate ser interrompido por Mario Yamasaki. 

No final da luta, em entrevista ainda no octógono, Romero desafiou o campeão da categoria, Michel Bisping, que provocou o lutador fazendo gestos obscenos e sugerindo que Romero usa substâncias proibidas para aumento de performance. 

Sem entrar na pilha, Romero disse. “Você está vendo o verdadeiro campeão aqui”.

Doping

Após a luta contra Ronaldo Jacaré, cuja vitória veio por uma contestada decisão dividida, o cubano foi flagrado no exame antidoping após testar positivo para uma substância de crescimento normal, e recebeu gancho de seis meses da Agência Antidrogas dos Estados Unidos (Usada). 

Weidman perde segunda seguida

O revés diante de Yoel Romero deixou Chris Weidman com um mancha vermelha no cartel. A segunda derrota consecutiva - e as únicas duas em 15 combates no MMA - da carreira. Em dezembro do ano passado, o “All-American” perdeu o cinturão dos médios que detinha desde 2013, quando nocauteou Anderson Silva no UFC 162, para Luke Rockhold, que mais tarde perderia para para o atual dono da cinta, Michael Bisping. 

Miesha Tate anuncia aposentadoria após derrota

Muitas coisas podem acontecer após uma derrota, em especial no MMA. Mas após ser anunciada a vencedora do primeiro combate entre as mulheres do card principal do UFC 205, Miesha Tate, ex-campeã dos galos, anunciou que está se aposentando. 

Insatisfeita com a atuação diante de Raquel Pennington, “Cupcake” disse: “Estou nisso [MMA] há muito tempo. Meu corpo já foi muito massacrado, não dá mais para mim. Vou amar esse esporte para sempre, mas não é mais a minha hora, é a hora do futuro”, disse, apontando para Pennington, de 28 anos. 

Miesha Tate tem apenas 30 anos, 25 lutas no MMA, 18 vitórias, e começou no MMA em 2006. Como profissional, atua desde 2007. A americana já lutou pelo extinto Strikeforce, e foi garantida no UFC após o evento ter sido incorporado ao Ultimate, em 2012. Na franquia, Miesha soma nove lutas, cinco vitórias e quatro derrotas, incluindo uma para Ronda Rousey. Neste ano, conquistou o cinturão da divisão feminina dos galos após surpreender Holly Holm e vencer o combate por mata-leão. Em seguida, em julho, foi finalizada pela brasileira Amanda Nunes.

Rafael Natal é nocauteado por Boetsch no 1º round, após bom início de luta

Buscando se recuperar da derrota por decisão diante de Robert Whittaker, Rafael “Sapo”Natal fez um bom início de combate, válido pelos médios, contra Tim Boetsch, mas acabou nocauteado ainda no primeiro round.

Com os dois buscando o combate boa parte do assalto, Boetsch mostrou mais agressividade no início, com chutes retos e tentativas de acertar o rosto do brasileiro com cruzados. Rafael reagiu aos ataques do americano e impôs mais contundência nos ataques. Em um deles, conectou uma boa combinação na curta distância de jab e cruzados, e conseguiu sair do raio de ação de Tim ao evitar chutes na perna. 

Melhor no combate, Rafael tentou impor o volume de ações, mas acabou acuado com as costas na grade, revidou com um overhand de direita, esquivou um cruzado, e foi acertado por um cruzado de direita que entrou em cheio no queixo. No solo e atordoado, o brasileiro recebeu mais alguns socos até a intervenção do árbitro aos 3m22s. 

Vicente Luque nocauteia e emenda quarta vitória seguida

Terceiro brasileiro a luta na noite, Vicente Luque conquistou, diante de Belal Muhammad, a quarta vitória no seguida no UFC em cinco lutas. O brasiliense perdeu apenas na estreia. No início da luta, ambos trocaram chutes na média distância sem oferecer riscos, mas a vantagem ficou com Luque, que conseguiu encurtar a distância, fazendo o oponente andar para trás. 

No momento mais quente do combate, o brasileiro acertou um cruzado de direita, que carimbou a têmpora de Belal, seguido de um cruzado de esquerda que entrou em cheio no rosto, desnorteando o americano. No chão, o lutador sofreu mais um soco antes da interferência do árbitro central em apenas 1m19s de confronto. A vitória do meio-médio do Brasil foi a segunda seguida por nocaute. Já Belal perdeu somente a segunda luta na carreira em 11 combates. No UFC, ele só foi derrotado por decisão unânime na estreia para Alan Jouban, em julho deste ano. 

Thiago Pitbull é superado por Jim Miller por decisão unânime

Desde maio de 2015 sem lutar pelo UFC, quando perdeu para Carlos Condit por nocaute técnico (interrupção médica), em Goiânia, Thiago Pitbull acumulou no UFC 205 a segunda derrota seguida, mas a terceira nas últimas cinco lutas pelo Ultimate.  Contra Jim Miller, que substituiu Al Iaquinta, o cearense iniciou bem o combate. Agressivo, resistiu aos ataques de Miller com uma joelhada na cabeça do oponente no primeiro round. 

Apesar disso, Jim não se intimidou e partiu para a luta de solo, fundamento que mostrou na luta ser superior ao brasileiro.  O americano conseguiu uma queda, mas Thiago levantou depois de colocar as costas na grade e levantar, aplicando chutes e joelhadas na curta distância, na sequência. 

Melhor na trocação, Pitbull tentou manter o combate em pé, mas foi novamente quedado quando Miller percebeu o perigo. Com um double leg clássico, depois de um soco esquivado e telegrafado por Pitbull, a luta transcorreu novamente no solo, onde Miller tentou uma guilhotina. Thiago defendeu. 

No último assalto, sabendo que estava atrás na contagem de pontos, Pitbull voltou a ser contundente em pé para tentar o nocaute, e mais uma vez foi quedado por um double leg. No final da parcial, Thiago ainda acabou por cima após inversão, batendo no grond and pound. As ações não foram suficientes para reverter, no entanto o placar a favor do americano.

Carmouche sofre, mas vence por decisão dividida

As mulheres foram escolhidas para entrar na história no UFC 205: Liz Carmouche e Katlyn Chookagian fizeram a luta de abertura do card preliminar pela primeira vez em Nova Iorque, um dos estados onde o MMA ainda era banido por meio de uma lei derrubada neste ano. A melhor ficou com Carmouche, que usou a experiência para contornar o início mais contundente da adversária. Liz encurtou a distância e levou o combate para o solo com uma bonita queda por meio do double leg. 

A estratégia de reduzir os riscos foi seguida à risca por Carmouche, que usou o jogo de solo para vencer outro assalto. No entanto, Chookagian voltou para o terceiro round disposta a mudar o cenário e acertou um chute alto na cabeça da adversária. Desequilibrada e sentido o golpe, Carmouche caiu e foi acertada no solo. Em pé, virou figura estática em virtude do cansaço, perdeu o round mas terminou com a vitória. 


UFC 205

Data: 12 de novembro de 2016

Local: Madison Square Garden, Nova York, Nova York

Card principal

Conor McGregor derrotou Eddie Alvarez por nocaute técnico (socos) - Round 2, 3:04;

Tyron Woodley e Stephen Thompson tiveram luta declarada empate majoritário (47-47, 47-47, Woodley 48-47) - Round 5, 5:00; 

Joanna Jedrzejczyk derrotou Karolina Kowalkiewicz  por decisão unânime (49-46, 49-46, 49-46) - Round 5, 5:00; 

Yoel Romero derrotou Chris Weidman por nocaute técnico (joelhada e socos) - Round 3, 0:24; 

Raquel Pennington derrotou Miesha Tate por decisão unânime (29-28, 30-27, 30-27) - Round 3, 5:00;

Card preliminar 

Frankie Edgar derrotou Jeremy Stephens por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28) - Round 3, 5:00;

 Khabib Nurmagomedov derrotou Michael Johnson por finalização (kimura) - Round 3, 2:31; 

Tim Boetsch derrotou Rafael Natal por nocaute técnico  (socos) - Round 1, 3:22; 

Vicente Luque derrotou Belal Muhammad por nocaute (socos) - Round 1, 1:19;

Jim Miller derrotou Thiago Alves por decisão unânime (30-27, 29-28, 30-27) - Round 3, 5:00; 

Liz Carmouche derrotou Katlyn Chookagian por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28) - Round 3, 5:00.


Tags: Conor McGregor Eddie Alvarez Miesha Tate Rafael Sapo Natal Raquel Pennington Thiago Pitbull UFC 205 Vicente Luque
A+ A-