UFC 202: McGregor passa sufoco, vence e diz que futuro está entre os leves

Artur Dantas,

Foto: UFC

Na primeira vez que se encontrou com Conor McGregor, Nate Diaz disse que tivesse feito o camp completo não seria encontrado no octógono. Não foi o que se viu na luta principal do UFC 202, realizada no T- Mobile Arena, em Las Vegas. Diante do irlandês, vencido pelo americano em março deste ano, Diaz chegou a sofrer três knock downs - um no 1º round e dois no 2º. Mesmo assim, deu trabalho ao europeu, em especial na reta final dos 2º e 3º assaltos, quando teve chance de encerrar o combate. Na decisão dos árbitros, “The Notoriuous” venceu por decisão majoritária. 

No combate, McGregor veio com uma proposta diferente do primeiro encontro entre os dois. Mais focado e com menos “marra”, o irlandês entrou com uma estratégia clara de manter o confronto na média distância com chutes na perna da frente do americano, revidados por socos na linha de cintura. E foram muitos ao longo do combate. Entretanto, ainda no assalto inicial, Conor encaixou um cruzado de esquerda no queixo de Diaz, que tombou, chamou pro chão, mas não teve sucesso. 

No segundo round, quase tudo da mesma forma não fosse por mais dois knock downs de McGregor em Diaz ocasionados por cruzados. Porém, na segunda metade do round, Nate achou a distância e passou a variar os socos na linha de cintura com os cruzados. McGregor sentiu, andou para trás e foi massacrado na grade por socos curtos no clinch.  A situação se repetiu no terceiro round. McGregor iniciou melhor, mas cedia às investidas de Diaz à medida que a luta evoluía. 

No quarto round, Nate, com sangramento atrapalhando a visão em virtude de cortes nos dois supercílios, foi alvo de McGregor, que capitalizou em cima do cansaço do oponente. No último assalto, Conor evitou se colocar em situação de perigo e evitou a luta na curta distância. Diaz provocou o adversário por esse motivo, chamou para o combate, estirou o dedo e buscou mais o confronto. Colocou McGregor com as costas na grade, tentou derrubar, mas acabou no chão por poucos segundos. Em pé novamente, Nate garantiu a única queda limpa do combate restando apenas 10 segundos para o final da luta. Por decisão majoritária (48-47, 47-47, 48-47), Conor venceu e se vingou da derrota. 

Após a luta, McGregor provocou Diaz e disse que o futuro não está nos penas, categoria que é campeão, nem nos meio-médios, reside nos leves. “Eu não estou surpreso, filhos da puta. O rei está de volta. Mais uma vez eu trouxe a classe, a diferença e consegui a vitória. Dei o que tinha de melhor. Serei campeão peso leve”, decretou, sem descartar que toparia fazer uma melhor de três com Nate. 

No co-evento principal da noite, o brasileiro Glover Teixeira não resistiu a Anthony Jonhson, que aplicou um uppercut e levou o mineiro à lona em apenas 13 segundos. Mirando o campeão dos meio-pesados, Daniel Cormier, “The Rumble” decretou: “Cormier, você é o cara, baby, mas estou chegando. Ei, ei, não faltem com respeito. Não o vaiem. Ele é o cara”, disse para sorriso de Daniel e para a plateia que vaiava Daniel. Ambos já se enfrentaram uma vez em março de 2015, ocasião que Jon Jones foi destituído do título por problemas judiciais. Cormier venceu Jonhson por finalização e ficou com o cinturão. 

Na terceira luta do card principal, Donald Cerrone precisou de mais tempo para garantir a terceira vitória entre os meio-médios desde que migrou dos leves neste ano. Contra Rick Story, Cerrone começou desferindo um chute na linha de cintura de Story e levou a luta para o chão, sem efetividade. Depois, foi Rick quem levou o combate para o solo, tentou colocar os ganchos, foi raspado e Cerrone tentou uma finalização por omoplata. No final do assalto, Cerrone acabou em vantagem acertando diretos e cruzados. 

Na parcial seguinte, Cerrone acertou jabs e diretos, controlou a distância e acertou um cruzado de esquerda seguido de um chute alto no rosto de Story. No chão, Donald mandou mais alguns socos e encerrou a luta. Em entrevista, Cerrone não garantiu a permanência nos meio-médios e mirou uma nova luta pelo cinturão. “Acredito que vou voltar para os leves. Acho que Eddie tem algo que me pertence. Vamos lutar no Madison Square Garden, eu e o Eddie. Que tal?”, indagou.  Lembrando que ambos já se enfrentaram na estreia de Eddie Alvarez no UFC, em 2014. A luta acabou com vitória do “Cowboy” por decisão unânime. 

Outro que brilhou, mas dessa vez no card preliminar foi Cody Garbrandt, que desbancou Thominhas Almeida em maio. Diante de Takeya Mizugaki, o americano precisou de apenas 48 segundos para formalizar o nocaute após conectar um forte cruzado de direita. Direcionado a Dominick Cruz, dono da cinta, ele garantiu: “Dominick, vou acabar com você, vou quebrar seu queixo, cara. Vou mostrar que eu sou de verdade”.

Ainda no card preliminar,  Alberto UDA conheceu a segunda derrota na carreira de 11 combates, ambas no UFC. Diante do estreante italiano Marvin Vettori, o brasileiro foi finalizado aos 4m30s do primeiro round. O catarinense perdeu a primeira luta no Ultimate para Jake Collier, no segundo round, no mesmo evento de Thominhas vs Garbrandt. 

UFC 202

Data: 20/08/2016

Local: T-Mobile Arena, Las Vegas, Nevada

Card principal

Conor McGregor derrotou Nate Diaz por decisão majoritária (48-47, 47-47, 48-47)

Anthony Johnson derrotou Glover Teixeira por por nocaute (socos) - Round 1, 0:13 

Donald Cerrone derrotou Rick Story por nocaute técnico (socos) - Round 2, 2:02 

Mike Perry derrotou Hyun Gyu Lim nocaute técnico (socos) - Round 1, 3:38

Tim Means derrotou Sabah Homasi nocaute técnico socos)- Round 2, 2:56 

Card preliminar

 Cody Garbrandt derrotou Takeya Mizugaki por nocaute técnico (socos) - Round 1, 0:48 

Raquel Pennington derrotou Elizabeth Phillips por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27) - Round 3, 5:00 

Artem Lobov derrotou Chris Avila por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27) - Round 3, 5:00 

Cortney Casey derrotou Randa Markos por finalização (amrlock) - Round 1, 4:34 

 Lorenz Larkin derrotou Neil Magny por nocaute técnico (cotovelada) - Round 1, 4:08 

Colby Covington derrotou Max Griffin por nocaute técnico socos) - Round 3, 2:18 

Marvin Vettori derrotou Alberto Uda por finalização (guilhotina) - Round 1, 4:30


Tags: Alberto Uda Conor McGregor Glover Teixeira Nate Diaz UFC 202
A+ A-