Jedrzejczyk vence Gadelha e evoca Ali: “viva e sobreviva para ser por toda vida campeão"

Artur Dantas,

Pouco mais de um ano e meio separaram o primeiro confronto entre Joanna Jedrzejczyk e Cláudia Gadelha do segundo no TUF Finale 23, em Las Vegas, mas o resultado foi semelhante. Se a luta de 2014 resultou em uma questionada decisão dividida em favor da polonesa, o novo encontro das duas no octógono não deixou dúvidas. Por decisão unânime (48-46, 48-45, 48-46), Joanna permaneceu invicta no MMA em 11 combates e conseguiu a terceira defesa de título. 

Na luta, Cláudia começou dominando as ações acertando um jab de esquerda no queixo de Joanna que levou a campeã a knock down ainda nos segundos iniciais. Com um jogo claro de levar o combate para o solo e buscar a finalização, Gadelha conseguiu algumas quedas nos dois primeiros rounds, mas muitos foram os momentos no qual as duas revezaram cotoveladas no clinch, oportunidades que Gadelha buscava as quedas que lhe valeram a vitória nas duas primeiras parciais. 

Porém, na metade do terceiro assalto, a brasileira desacelerou em função do cansaço proveniente dos chutes retos da adversária na linha de cintura e se tornou presa fácil. Com pouca movimentação, a atleta da Nova União apenas resistiu ao volume de jogo de Jedrzejczyk que passou a variar os chutes na parte interna da coxa e a combinação de rápidos jabs e cruzados de saída. 

No quarto round, a vantagem ficou mais clara. Joanna ganhou confiança e colocou ganchos e diretos na linha de cintura da potiguar, além de conectar bons chutes nas pernas. A mudança de base e a movimentação constantes dificultaram a aproximação da brasileira que se tornou um alvo menos complicado para a campeã, apesar de eventualmente ser acertada por cruzados sem tanta potência de Cláudia. 

O quinto round veio para sacramentar a vitória da polonesa. Joanna continuou com boa movimentação, saindo do raio de ação e colocando agora chutes altos que ficaram na guarda de Gadelha. A brasileira ainda tentou a queda porém foi rechaçada pela campeã. 

No final do combate, as duas colocaram de lado as divergências e rivalidade mostradas nas gravações do The Ultimate Fighter 23, reality do qual foram técnicas. 

“Quero dizer uma coisa: o mais importante é ser humilde e lutar para os fãs e paras as pessoas. Eu respeito todos aqui e Joanna como campeã”, disse a brasileira. 

Jedrzejczyk exaltou a qualidade de Gadelha e, questionada sobre como conseguiu reverter o resultado dos rounds iniciais, evocou Ali. “Eu me preparei três meses para essa luta. Deixei sangue, lágrimas. É como Muhammad Ali dizia: ‘viva e sobreviva para que você seja por toda vida um campeão”.


Tags: Cláudia Gadelha Joanna Jedrzejczyk UFC
A+ A-