Encontro com João Gilberto

Nicolau Frederico,

Um dos criadores do novo gênero musical que surgiu em fins da década de 50 no Brasil acaba de nos deixar neste sábado (6). Poucos sabem que ela era natural da Bahia, terra de grandes artistas, compositores e músicos de nossa MPB. João Gilberto, que chegara nessa época ao Rio de Janeiro, trouxe na batida de seu violão aquele toque mágico que permanece nesses 61 anos da Bossa Nova

Uma jornalista carioca que por anos integrou a equipe de editoria do Jornal do Brasil, Maria Lúcia Rangel, filha de outro jornalista que marcou época e história, Lúcio Rangel, e casada com o jornalista e escritor Sérgio Augusto, relembra o seu histórico encontro com João Gilberto.   

"Foi em novembro de 1962 que vi João Gilberto pela primeira vez. Andava com meu pai num final de tarde pela Visconde de Pirajá quando um táxi parou e dele saiu correndo, em nossa direção, ninguém menos que João Gilberto. Fiquei atônita quando ele abraçou meu pai e disse: “Lucio, estou indo fazer um show no Carnegie Hall. Reza pra mim”. Voltou correndo em direção ao aeroporto e ao sucesso.

Anos depois, em Nova York, fui com Tunga à casa de um diplomata que não saía do telefone. Depois de muito tempo perguntei baixinho com quem ele estava falando: “Com João Gilberto”, sussurrou. Pedi o telefone e ele me avisou que João não falava com ninguém: “Diz que é a filha do Lucio Rangel”. Imediatamente começamos a conversar. E como conversamos. Sempre ao telefone. No dia seguinte ele me acordou. Voltei para o Brasil e ele me ligava toda madrugada, tipo meia-noite, e falávamos até 3, 4 da manhã. Até que tive que dispensar nosso divertimento. Trabalhava num jornal matinal televisivo e não dei conta do cansaço.

No dia 14 de maio de 1988 consegui vê-lo no Carnegie Hall. Privilégio. Vi outras duas vezes: o show gravado e dirigido por Daniel Filho e, maravilha, João e Tom no Municipal. A última vez que nos falamos, ele no Brasil e eu na casa de Bebel em Nova York, foi por insistência de sua filha: “Fala com papai. Ele gosta tanto de você que vai gostar de saber que eu estou bem”.

Nos últimos tempos sabia dele por Miúcha. Muitas vezes ela interrompia nosso papo porque João estava ligando. Agora estão juntos. Que céu musical neste dia tão triste pra nós que ficamos."

Com a cortesia da jornalista Maria Lúcia Rangel

Tags: Bahia Bossa Nova Carnegie Hall Daniel Filho João Gilberto Lúcio Rangel Maria Lúcia Rangel MPB Rio de Janeiro Sérgio Augusto
A+ A-