Entre lanternas e livros

Epistolografia em sala de aula do Ensino Médio

Michelle Paulista,



Em certo sentido, pode parecer paradoxal levar cartas de autores norte-rio-grandenses para o ambiente escolar do Ensino Médio, no atual contexto da contemporaneidade e das redes sociais em grande uso. Mas imaginamos ser, exatamente, essa contradição que possa atrair o interesse dos nossos alunos.

  Motivar uma turma a partir de uma carta da década de 1980, como exemplo, é também oferecer um mergulho no contexto histórico da época e suas linguagens:


Você é um danado, mestre Veríssimo, a tudo atento e providenciando.

[...]

Quanto à vaga na Academia, pode contar com o meu voto para o seu “protegido”. Você sabe que sou seu eleitor “de cabresto”.

Quando devo enviar o voto?

Você viu a minha entrevista na TV Educativa? Se viu gostaria de ter a sua opinião.

E as eleições? Viu como o povo tá ficando bom de voto?

(Peregrino, 1989)


O excerto acima é de uma carta do escritor potiguar Umberto Peregrino para Veríssimo de Melo, em janeiro de 1989. O assunto da carta é a resposta a um provável pedido de voto para a eleição da Academia norte-rio-grandense de Letras. Com razoável intimidade, Umberto Peregrino ainda trata de uma aparição na TV e “brinca” com o resultado das eleições da época, não sabemos em que âmbito. Uma abordagem interessante nessa carta passaria, certamente, pela informalidade com a qual o remetente trata assuntos geralmente formais. Acrescente-se a inexistência, ainda na época, das facilidades das mensagens espontâneas de que hoje dispomos.

Ainda sobre o ensino de Literatura por meio de cartas, queremos lembrar da utilização deste gênero por parte de muitos modernistas e parece-nos que Veríssimo, embora não tenha vivido no surgimento do movimento modernista, já tinha consciência da relevância que as correspondências teriam, pois era adepto de tal prática, tendo deixado grande número de correspondências. Lendo a correspondência de Veríssimo, temos a oportunidade de mergulhar nos bastidores da cena literária e cultural do estado.


A+ A-