Para a decisão do Sub 17, CEAF ignora os jovens valores do apito

Edmo Sinedino,

ABC e América decidem o campeonato sub 17 nesta quarta-feira (5), na Arena das Dunas. Duas coisas que preciso comentar, pois fico sem entender.

A primeira diz respeito à arbitragem. O trabalho do coronel Ricardo Albuquerque é merecedor de todos os elogios, por isso não entendi a escala dos "medalhões" para essa decisão.

Ora, se os jogos foram arbitrados por jovens que despontam, não seria mais natural que o destaque do apito fizesse esse jogo, junto com os assistentes também de melhor desempenho.

Por quê não as meninas?

Pablo Ramon Gonçalves apita, com os assistentes Flávio Barroca e Lorival Cândido, com Caio Max Vieira como quarto árbitro.

A outra coisa que acho absolutamente equivocada é a cobrança de ingresso, pois entendo que é hora de motivar os jovens torcedores, e fazer mais gente nos estádios para o futuro.

Mas aí é pedir demais de José Vanildo,  que é, hoje, unanimidade negativa como presidente da FNF, talvez, na história com pior aceitação entre os torcedores.


Tags: abc america ceaf pablo ricardo albuquerque
A+ A-