Falei de lobby e lembrei de Baltazar Germano e Didi Duarte

Edmo Sinedino,

baltazar23_09Um dia, no twitter, creio, alguém falou que ia começar o "lobby" para Diá assumir uma equipe daqui. Eu nem lembro qual foi. Respondi que não fazia esse tipo de coisa, mas torceria sempre para que treinadores da terra tivessem mais oportunidades.

Agora, lobby quase brasiliense eu vi, juro que vi, no caso do Roberto Fernandes. Incrível, mal Sérgio Soares pediu o boné e já começaram a disparar matérias, twittadas, postagens em todo tipo de redes sociais alavancando o nome do treinador pernambucano.

Sei lá, sou assim, esse tipo de coisa me causa incômodo. Penso em luizinho Lopes, Diá, Wassil Mendes, Didi Duarte, Hígor César, Edinho Cardoso, nomes que nunca foram, nem serão mais, lembrados para trabalhar em nosso futebol.

Volto um pouco mais no tempo e recordo de Baltazer Germano de Aguiar, com seu olho descobridor de talentos, sua qualidade fantástica de treinador de campo, treino e jogo, relegado, desprezado porque não tem discurso pronto, e falso, e nem vivia se abrindo em sorrisos para essa gente metida a  importante da imprensa.

Didi Duarte, no ABC, e Baltazar Germano, no América, para quem não sabe, não lembra, ou mesmo os que fingiram esquecer, foram responsáveis por grandes trabalhos em ABC, América e Alecrim. E isso, anotem aí, no tempo que o futebol era bem mais qualificado que hoje. E podem me chamar de saudosista, não ligo.

me incomoda, porque a mesma coisa acontece com os jogadores. Os meninos bons de bola vão sendo escanteados, esquecidos, negociados, desprezados, enquanto esses estrangeiros (de um modo geral) murrinhas têm um milhão de chances de jogar, jogar, jogar, errar, errar até o dia em que, muito tempo e derrotas  depois, é que cai a ficha dos dirigentes incompetentes.

didiDuarte_09

Duvido que qualquer desses vários papangus que estão aí, em atividade, dirigindo clubes da Série B, e até Série A, tenham mais conhecimento de futebol, experiência, inteligência que um Didi Duarte ou Baltazar Germano, só para citar esses dois grandes nomes de nossa bola.  

É esse futebol de tantos absurdos que, aos poucos, vai fazendo murchar, dentro de mim, a paixão que me acompanha desde que me entendo de gente.


Tags: alecrim america baltazar germano dia didi duarte
A+ A-