E o ABC, pasmem, ainda ficou devendo R$ 500 mil a Giscard Salton

Edmo Sinedino,

O que vocês vão ler abaixo é uma colagem, geral, irrestrita, total, que fiz no microblog do meu amigo-colega de tevê Assembleia, Mállyk Nagib. Esclareço que  somente faço isso com pessoas de minha mais completa confiança.

O assunto é a reunião do Conselho Deliberativo do ABC. Mállyk traz tudo, mas eu aproveito para comentar um ponto que me deixou assim, de cabelo em pé. Salton. Imagino quantos torcedores não devem "adoecer" com essa informação.

O cara tinha salário, recebia bichos, negociava jogadores a seu bel prazer, trazia os que queria, lembrando que nenhum deles deu uma resposta positiva de verdade, sem falar que alguns foram um verdadeiro absurdo, casos dos gringos Pepe Alvarez e Boris Sagredo.

Depois de tudo isso, de contratações que enterraram o clube, do rebaixamento horroroso e doído, o clube ainda tem uma dívida com esse senhor de R$ 500 mil, meio milhão de reais??? Gente, onde o futebol do RN vai parar desse jeito?

Bom, aliviado com o acerto com o Marcelo Santana, esperançoso, é bem verdade, e também, se confirmado, concordando com a não continuação do trabalho do Roberto Fernandes.

Se bem que, se o ABC ganhar na Justiça no caso contra o Treze, provavelmente ele fique, o clube concorde em pagar o seu alto salário, o que para mim seria um grande erro.

Veja abaixo as tuitadas de Nagib

Vamos para o que consegui colher da reunião de ontem (segunda-feira) do Conselho Deliberativo do ABC. Quem escreve e posta sou eu (Mállyk Nagib), mas tudo que virá a seguir foi repassado por conselheiros de diferentes perfis e opiniões. O compilado vem com a opinião de cada um (que reservo, claro). 

Pontos positivos: O principal foi a confirmação do acerto com  Marcelo Santana. Isso acendeu a esperança aos presentes de que o 1º passo foi dado. A prestação de contas de 2018 foi aprovada. Foram mostradas algumas ideias referentes ao planejamento para 2020.

Um organograma e o estatuto (mudança dele, na verdade), que ainda não estão concluídos, são bem interessantes para o clube, se aplicado na realidade. Outra coisa boa foi a abertura e participação dos que fazem o grupo "Revolução Alvinegra", mesmo como convidados. 

Pontos repetidos: muito tempo falando sobre dívidas antigas  e sobre ações que já foram prometidas em outros momentos. Pelo tempo que terminou o Brasileiro e a ausência de novidades, muitos esperavam coisas mais concretas e menos improdutivas. Um pouco de oba oba. 

Pontos negativos:  não explicando ou não se manifestando sobre assuntos pertinentes como mudanças nas vices-presidências ou diretorias. Intriga a demissão de funcionários modestos com argumento de contenção, mas contrata profissionais com salários acima da média. 

Conselheiros reclamam que a direção do clube só agora detectou todos os problemas e vai resolver tudo? A dívida, que foi dita aos 4 cantos que estava resolvida, não foi bem explicada. Ficou claro que a gestão da diretoria não executou nada do "Fórum" realizado para anunciar Suassuna. 

O Fórum do ABC foi antes da eleição para "criar o candidato” mas não foi aproveitado nada desse evento, já que agora se fala em fazer um "novo". A mudança no organograma, não ficou clara como funcionaria e como ficaria no estatuto do clube. Tudo isso ainda não é bem explicado. 

Na apresentação do presidente foi prometido, mas faltou números sobre o ABC.  Segundo Suassuna, a dívida trabalhista está sanada e inclusive foi detectado uma quantia (3 milhões, por cima) de pagamentos indevidos já detectados. Quantia que conselheiros não botam muita fé. 

Questão sobre Clécio Santos (se fica, se sai e tudo mais) e outros assuntos polêmicos  são colocados para debaixo do tapete. Não são postos em "pratos limpos" e isso gera o ruído (falatório) por não ser explicado. Isso deixa margem para a imaginação e especulação. 

Sobre Salton: a revolta de alguns conselheiros é que ele tem uma grana alta a receber do clube  (cifra seria 500 mil - dividido em 10x de 50 mil) inclusive participando do "bicho". Informado que Salton está fora do país "colhendo os frutos" da sua passagem aqui como executivo. 

Enfim, o desenho dessa "Terra do Nunca", com falas prontas e promessas repetidas (clube formador/clube empresa) foi o que marcou a reunião do CD do ABC.  Foi + do mesmo em muita coisa. Transparência nas ações do clube continua sendo o maior pedido pós-rebaixamento. 

Como ações futuras: Pretende-se acabar com o pagamento de Bichos e extinguir 4 ou 5 Vices presidências, substituídos por diretorias remuneradas. Não acertando a permanência de Roberto Fernandes, trazendo um técnico com um salário compatível com a situação.


Tags: abc conselho deliberativo mallyk nagib reuniao salton
A+ A-